• Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Geisy diz que tinha medo de falar sobre bissexualidade: "Fetichizam demais"

·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Geisy Arruda é uma mulher que fala sobre tudo, principalmente sexo — ela é expert no assunto. Mas a modelo e escritora de dois livros erótico revela em live com o Yahoo que demorou para abrir o jogo sobre sua orientação sexual. A morena, que é bi, conta que tinha medo dos julgamentos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

Ela conta que a família aceita sua bissexualidade. “Isso vem de nova, meu primeiro caso com uma mulher foi aos 15 anos”, relembra. O problema, no caso, está na sociedade preconceituosa. “Decidi assumir há pouco tempo, há dois ou três anos, porque nunca me senti à vontade. Tinha medo que me julgassem mal e banalizassem”, explica.

Leia também

“Tenho atração física e sexual por homens e mulheres. É algo que eu não controlo, uma coisa que acontece”, afirma. Outra questão que preocupa Geisy é a fetichização da bissexualidade: não à toa, a modelo recebe inúmeras propostas de sexo a três.

Geisy fala sobre relacionamentos com homens e mulheres (Foto: Reprodução/Instagram @geisy_arruda)
Geisy fala sobre relacionamentos com homens e mulheres (Foto: Reprodução/Instagram @geisy_arruda)

“Fetichizam demais. Uma das propostas que eu mais recebo é de ménage à trois. Sou uma mulher bissexual e isso não quer dizer que vou transar com todas as mulheres do mundo. Não é assim. Preciso gostar da mulher, beijá-la, ver se rola... Gosto de mulher com ou sem o marido [na cama]. As pessoas confundem muito”, dispara.

A autora do livro de contos ‘Desejo Proibido’ ainda revela interesse em se relacionar com pessoas de outras orientações de gênero. “As pessoas que pensam que nós estamos confusas estão atrasadas. Isso porque eu não experimentei o sexo com uma pessoa trans, por exemplo. Por que não?”, reflete. “Tendem a achar que sexo é só homem e mulher. Isso tem a ver com educação, religião... Mas não é assim”, opina.

Relacionamentos com fãs

Solteira, Geisy conta que prefere se relacionar com seguidores “para ter certeza que não vai pegar um mala sem alça”. Ela explica:

“Gosto de sair com pessoas que admiram a minha vida, minha personalidade e a minha carreira. Nunca vou sair com alguém que não respeita o meu trabalho”, diz a modelo. E ela lê todas as mensagens que recebe nas redes sociais e se diverte com as abordagens.

“Tem de tudo. Homens diretos que mandam nudes, outros mais fofo. Teve um que estava cozinhando e mandou uma foto da panela, do fogão. Alguns sabem que eu gosto de vinho e mandam foto de vinho. Esses são mais espertos, mais inteligentes”, brinca.

Confira o bate-papo completo com Geisy Arruda:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos