Garotinho de 5 anos fica inconsolável ao sofrer preconceito por gostar de esmalte

Garotinho sofre preconceito por usar esmalte – Reprodução/Twitter @DaddyFiles

A masculinidade é algo que se mostra cada vez mais frágil e o estigma social que separa “coisas de menino” das “coisas de menina” ainda segue forte em pleno 2018. Um caso ocorrido em Massachusetts mostra o quanto isso pode ter uma influência negativa na vida de uma criança, que não tem a menor maldade sobre definições impostas pelos adultos sobre gênero.

Leia mais: Garoto de 9 anos sofre bullying por gostar de rosa e recebe o melhor apoio da família

O caso aconteceu com um dos filhos de Aaron Gouveia, pai de três crianças e autor do blog Daddy Files, onde compartilha experiências sobre a paternidade e dá dicas de como ser um pai melhor. Ele usou o Twitter para contar o que aconteceu com Sam, de apenas 5 anos de idade.

“Este é meu filho Sam, ele tem cinco anos. Hoje ele aprendeu o quanto a masculinidade tóxica é ridícula e pode machucar”, diz Aaron. Ele diz que o menino é como qualquer outro garoto, que brinca, se suja, adora caminhões, esportes e é bastante barulhento. Mas além disso, ele também gosta de muitas “coisas de menina”.

Garotinho sofre preconceito por usar esmalte – Reprodução/Twitter @DaddyFiles

Sam tem uma coleção de bolsas e, segundo o pai, ele adora carregar coisas para lá e para cá. “Ele também ama pintar as unhas com cores fortes porque ele diz que ‘fica lindo’. E ele está certo, fica lindo mesmo”.

Aaron conta que Sam foi todo orgulhoso para a escola com seu esmalte, pois absolutamente não possui este conceito de ser uma coisa para meninas ou que isso poderia ser um problema para alguém. “Mas seus colegas de classe tinham sim um problema. Sam foi ridicularizado por ser menino e usar esmalte. Eles o xingaram e disseram para ele tirar e isso durou o dia inteiro”.

Ao buscar o filho na escola, Aaron se deparou com Sam em prantos. “Ele estava devastado com como as outras crianças o trataram, até mesmo seus amigos. Ele pediu para que parassem, mas isso só fez piorar. Apenas uma criança o defendeu”.

Garotinho sofre preconceito por usar esmalte – Reprodução/Twitter @DaddyFiles

O pai então tentou acalmar o filho dizendo para que não ligasse, pois seu esmalte “irado”, mas o menino então pediu para que o esmalte fosse removido, assim ninguém mais tiraria sarro dele. Aaron diz ter ficado de coração partido, pois Sam tem um grande coração e muita empatia e vê beleza em todos os lugares, além de nunca ter sentido medo de ser diferente.

“Eu sei que essas crianças estão apenas na pré-escola, mas essa masculinidade tóxica é algo que se aprende. É aprendido, na maioria das vezes, através dos pais. Então pais: eu espero que estejam orgulhosos. Espero que durmam bem esta noite sabendo que normas de gênero foram solidificadas para mais um garotinho que cometeu a terrível infração de ter a audácia de gostar de pintar as unhas coloridas”.

“Minha mulher e eu passamos cinco anos pregando tolerância, aceitação e a importância de se expressar e seus filhos desfizeram isso em um dia na escola. Mas quero que saibam que eu conversei com Sam e disse que os outros estão com inveja de suas unhas e para que ele use uma cor ainda mais forte amanhã. Também disse que ele poderia tirar se quisesse, mas que muitos caras usam esmalte, como Thor e o Capitão Jack Sparrow”.

Leia mais: Garotinho sofre bullying por “lancheira de menina” e recebe o melhor apoio do primo (e da internet)

No fim, Aaron pintou as unhas em solidariedade ao filho, assim como irmão mais velho de Sam. Após o relato, vários internautas se comoveram com a história e mostraram seu apoio a Sam, pintando as unhas. Muitos pais compartilharam fotos de seus filhos com as unhas pintadas e a história se tornou viral.

Garotinho sofre preconceito por usar esmalte – Reprodução/Twitter @DaddyFiles