Garotinha com implante auditivo ganha boneca com o mesmo aparelho

Menina ganha boneca com mesmo implante auditivo que o seu – Reprodução/Jennifer Long Redmore/ABC News

Para uma criança com algum tipo de deficiência, é difícil se sentir representada quando se trata de brinquedos. A pequena Ann Redmore sabe bem o que isso e sua falta de audição faz com que ela tenha que usar um implante coclear, dispositivo eletrônico com parte interna e externa fixa na cabeça.

Leia mais: Artista cria bonecas com vitiligo para representar as crianças com a mesma condição

Estudante do primeiro ano no colégio St. James, em Nova York, Ann teve que faltar à aula por conta de uma consulta médica relacionada ao seu implante. Foi então que sua professora e colegas resolveram fazer um surpresa para ela.

Uma das tradições natalinas dos americanos são os elfos que aparecem a mando do Papai Noel para ficar de olho nas crianças. A elfa escolhida para a turma do St. James foi Holly e todos decidiram que ela deveria ter o mesmo implante que Ann.

“Quando ela estava fora, sua interprete de sinais e professora decidiram que deveriam ter um elfo surdo junto com os elfos que podem ouvir nas classes”, disse Jennifer Redmore, mãe de Ann, ao Good Morning America.

A intenção era tornar a escola “mais inclusiva para Ann e para os outros alunos” e a surpresa não poderia ter deixado a menina mais feliz. “Ela tocou os implantes admirada que a elfa e ela eram tão iguais. Ela contou orgulhosa para todos sobre a elfa, inclusive para o outro elfo na classe. E não só Ann, mas seus colegas de classe e os estudantes da escola. Holly tem sido o centro das atenções e todos querem visitá-la para praticar a linguagem de sinais”, disseram Olivia Dennison e Lynette Shear, professora e interprete de Ann.

Leia mais: Mãe de meninos autistas cria bonecos que celebram a diversidade

Ambas querem que as crianças saibam que “todos somos iguais e merecemos ser representados”. “As crianças tem uma mente fresca e absorvem tudo que veem e ouvem. Então com mostramos algo tão pequeno, como um elfo com implante coclear, ensinamos à elas grande noção de aceitação, igualdade, cultura e representação”, completa Olivia.