Galeria australiana fecha as portas para proteger obras de Matisse e Picasso da fumaça

SYDNEY (Reuters) - A qualidade do ar na capital da Austrália foi a pior de todas as principais cidades do mundo nesta segunda-feira, quando a fumaça dos incêndios florestais levou lojas e escritórios a pedir aos funcionários que ficassem em casa e a galeria nacional fechou as portas para proteger obras de arte.

Embora não exista nenhum perigo iminente das chamas, Camberra fica entre os diversos incêndios que assolam a costa leste e partes do interior da Austrália, e seus céus foram escurecidos pela fumaça nesta semana.

A Galeria Nacional da Austrália disse que não abrirá nesta segunda-feira em parte para proteger as obras exibidas em sua coleção de Matisse e Picasso, incluindo algumas emprestadas do Museu Picasso, em Paris.

"Fechar nossas portas nos permite mitigar qualquer risco para o público, funcionários e obras de arte em exibição", afirmou a galeria.

A exposição inclui retratos de Picasso de sua esposa, Olga, e sua amante, Marie-Therese, ambas emprestadas de Paris.

Os incêndios do verão devastaram mais de 8 milhões de hectares das matas da Austrália e mataram pelo menos 24 pessoas e inúmeros animais.

A fumaça amarelada cobriu vilas e cidades, aumentando a preocupação com a saúde pública.

(Reportagem de Jonathan Barrett, em Sydney)