Gabily expõe preconceito por ser funkeira ao ser parada em blitz com carro de R$ 154 mil

Reprodução, Instagram
Reprodução, Instagram

Gabily sofreu preconceito ao ser parada em uma blitz no Rio de Janeiro. A cantora disse que durante a abordagem um policial questionou se o seu carro, uma Evoque de R$ 154 mil, era adulterado, já que ela é funkeira.

"Fui abordada por uns policiais civis. Me pararam e mandaram eu encostar. Tinha uma [blitz da] Lei Seca na frente, mas foi um policial civil que me parou. Ele falou 'documento do carro e habilitação'. Dei para ele, e ele perguntou 'o carro está no seu nome?', falei que está. Aí ele [perguntou], 'o que você faz? É DJ?'. Eu disse 'não, sou cantora'. Ele 'de funk?', e eu [respondi] 'é'. Ele disse 'ih, esse pessoal do funk é f*da. Vou passar um scanner no seu carro, porque é campeã de clonagem", relatou.

Após atitude do policial, Gabily resolve confrontá-lo

Gabily contou que confrontou o policial após o comentário e fez uma reflexão sobre o ocorrido.

"Olhei para a cara dele e falei 'moço, eu trabalho igual uma condenada, e você está me falando que estou com carro clonado?' E ele disse 'não, só estou dizendo que eu tinha um e toda hora eu era abordado... quando eu falei que sou cantora, ele lançou 'de funk?'. Nem esperou eu falar. Imagina se eu chego para ele e falo 'ih, esses policiais são f*da'. Já iria presa por desacato", comentou.

"Achei um deboche, um desaforo. Tive que me segurar para não falar umas verdades, é porque eu tava sozinha também, e mulher é f*da. Nunca tinha sofrido esse tipo de...

Veja mais


Veja também

Rodrigo Mussi expõe atitude chocante da mãe durante coma após acidente de carro
Ex-BBB Flay rebate seguidor e expõe preconceito por causa do sotaque. Entenda!
Nadja Pessoa expõe ex-marido, D'Black, cobra dívida de R$ 500 mil e define relacionamento: 'Abusivo'