Gabi Brandt anuncia gravidez do terceiro filho: "Extremo risco"

Gabi Brandt no
Gabi Brandt no "PodCats". Foto: Reprodução/Youtube

Resumo da notícia:

  • Gabi Brandt confirmou a gravidez do terceiro filho

  • Influenciadora revelou que passa por uma gestação de risco

  • Ela não citou o nome do ex-marido, mas não negou que Saulo seja o pai

Gabi Brandt usou as redes sociais nesta quinta-feira (08) para confirmar os boatos de que está grávida de seu terceiro filho. Sem mencionar o ex-marido Saulo Poncio, pai de Davi, de 3 anos, e Henri, de 1 ano e 11 meses, a influenciadora de 26 anos também não negou a paternidade do cantor além de ter dito que o pronunciamento sobre a relação deles está mantido.

Em outubro, ela havia soltado um comunicado após acusações de assédio sexual do ex-marido contra uma jovem. Na nota, ela afirmou que a relação deles é única e exclusiva de pai e mãe dos meninos. Em nova publicação no Instagram, Gabi anunciou a gravidez ao revelar que passa por uma gestação de extremo risco e que foi obrigada a expor a notícia por ter sua privacidade invadida. Vale lembrar que ela oficializou o fim do casamento de três anos com Saulo Poncio em janeiro deste ano.

"Carta pro meu filho: não vejo a hora de te conhecer meu amor. mamãe estava tão feliz vivendo com você no secreto, na nossa paz, apesar das dificuldades. Mas MAIS UMA VEZ tive minha privacidade invadida e exposta contra a minha vontade, fui forçada a contar (confirmar ne.. Porque contado ja foi) sobre sua existência, falaram ate o sexo. Só esqueceram de avisar o motivo pelo qual eu não postava!", iniciou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Na sequência, ela citou o pronunciamento que envolve a relação com Saulo. "Mas já que assim foi feito, vamos mostrar como tem sido nossa jornada de 16 semanas juntos…Descobri a gravidez no dia 13/09. No dia 25/10 foi o dia daquele meu pronunciamento (que se mantém), até então NINGUÉM sabia da gravidez, éramos eu e você. No dia 30/10 eu perdi liquido e em seguida tive um sangramento forte, fui para o hospital e descobri que estava com placenta prévia. Gravidez de extremo risco", acrescentou.

Gestação delicada

Ela ainda narrou como viveu as últimas semanas, marcadas pela aflição da gravidade da situação. "Dia 10/11 tive mais um sangramento, fui para o hospital novamente, descobri mais um descolamento de placenta e um hematoma de 5cm. Atualmente a situação segue a mesma, dia após dia, alguns sangramentos mas sigo de repouso apenas me locomovendo para o que for extremamente necessário e orando muito para que tudo de certo", completou.

Por fim, ela justificou o fato de ter se mantido calada sobre a gravidez e criticou quem vazou a informação. "Por conta desses acontecimentos, meu instinto de mãe foi esconder para te proteger, mas eu me esqueci que hoje em dia eu não tenho o direito de escolher nem como, nem quando, nem SE algo assim vai ser exposto. Então, hoje eu parabenizo os envolvidos pelo presente que me deram num momento tão difícil e delicado", escreveu.

"Vocês me tiraram o direito de expor a gravidez no momento em que EU me sentisse pronta, vocês me tiraram o direito de contar o sexo do meu filho, de contar para a minha família que está vindo pro Natal e eu estava planejando contar pessoalmente, pros meus amigos, pra vocês", afirmou.

"Foi mais uma 'exclusiva, cifrada'…Mas eu perdi esses momentos que farão muita falta. Pra você meu filho: eu te amo, você é uma benção, uma fortaleza. E pra quem escolheu por mim: espero que os views tenham valido a pena", concluiu.

Descolamento ovular

De acordo com Carlos Moraes, ginecologista especialista em Perinatologia pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein, o descolamento de placenta pode ocorrer depois de 12 semanas de gestação, quando a pessoa gestante já tem a placenta formada.

No entanto, no caso de Gabi Brandt, que teve os primeiros sangramento no início da gestação, a placenta ainda não estava completamente formada. Nesse estágio da gravidez, o fenômeno é chamado de descolamento ovular. “É quando o saco gestacional não ocupada toda a cavidade uterina e fica uma parte chamada de área de descolamento. O principal sintoma é sangramento”, explica Geraldo Caldeira, ginecologista e obstetra membro da FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e médico do Serviço de Reprodução Humana do Hospital e Maternidade Santa Joana.

Todo sangramento genital que ocorre com menos de 12 semanas é considerado de risco, mas pode evoluir de forma mais tranquila do que o descolamento de placenta. Caldeira explica que os médicos chamam os sangramento do início da gravidez de "ameaças de abortamento". "Os três primeiros meses de gestação são sempre especiais. Não sabemos se o embrião formado é viável (tem boa saúde) ou não. A evolução da gravidez e a passagem por esse período ajuda na definição do quadro”, completou.

Para tratar o descolamento ovular, muitas vezes são indicados suplementos que contêm progesterona para serem inseridos via vaginal, mas cada caso deve ser avaliado individualmente, considerado as características de cada gestante. A maior preocupação é que com o esforço físico o processo de descolamento se intensifique. “Recomenda-se repouso físico, não carregar peso e evitar relações sexuais com intensidade”, acrescenta Moraes.