Fux demite secretário que pediu prioridade de servidores do STF na vacinação contra covid-19

·1 minuto de leitura
BRASILIA, BRAZIL - SEPTEMBER 10: The new Supreme Court President Luiz Fux reacts during his swearing-in ceremony amidst the coronavirus (COVID-19) pandemic at the  on September 10, 2020 in Brasilia. Brazil has over 4.197,000 confirmed positive cases of Coronavirus and has over 128,539 deaths. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Luiz Fux, presidente do STF, alega que pedido foi feito sem que ele soubesse (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, determinou que seja exonerado Marco Polo Dias Freitas, secretário de serviços integrados de saúde da Corte. A informações são do jornalista Ancelmo Gois, do jornal O Globo.

Dias Freitas foi o responsável por pedir à Fiocruz que fossem reservadas vacinas contra a covid-19 para 7 mil servidores. A medida furaria a fila de prioridades da imunização.

Segundo Fux, ele não foi informado sobre o pedido feito à Fiocruz. “Sempre fui contra privilégios”, disse o presidente do STF.

Leia também

O pedido foi enviado pelo Supremo em 30 de novembro e pedia a reserva de vacinas para 7 mil pessoas, entre ministros, servidores do STF e do Conselho Nacional de Justiça. No ofício, alegavam que havia dois objetivos na ação.

O primeiro seria imunizar o maior número possível de pessoas nas duas casas, que “desempenham papel fundamental no país e tem entre suas autoridades e colaboradores uma parcela considerável de pessoas classificadas em grupos de risco”, e o segundo era fazer uma campanha por meio do Tribunal, como “forma de contribuir com o país nesse momento tão crítico”.