Futuro Museu do Oscar tem 5.000 itens em sua coleção

HANUSKA BERTOIA
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um museu para contar a história do cinema, mostrar a tecnologia e a arte envolvidas na produção cinematográfica e retratar as pessoas que fazem ou fizeram o sonho da imagem em movimento possível é a missão do Academy Museum of Motion Pictures, que será inaugurado em 30 de setembro, em Los Angeles. Criado pela Academia de Cinema dos EUA, responsável por conceder os Oscar, o museu vai ocupar um complexo de 28 mil metros quadrados, com duas construções. Uma delas é o edifício Saban, de 1939, que terá sete andares para exposições com interatividade e imersão, e o estúdio Debbie Reynolds de conservação de filmes. Ele será ligado por pontes de vidro ao edifício Sphere, que terá duas salas de cinema de última geração com capacidade para 288 e mil espectadores. Na abertura, três andares do Saban vão abrigar a exposição Histórias de Cinema, que pretende mostrar a evolução da arte cinematográfica dos irmãos Lumière até os dias de hoje. Todos os aspectos da produção serão explorados. E não faltará material. A Academia tem em sua coleção cerca de 5.000 itens, da era do cinema mudo até hoje, entre figurinos, material promocional, memorabilia, protótipos de maquiagem, objetos de cena, modelos usados em efeitos especiais e, claro, várias estatuetas do Oscar. Mas antes da inauguração, e apesar da distância, o público brasileiro poderá aproveitar o novo museu. Na próxima quinta-feira, três dias antes da premiação do Oscar deste ano, um tour virtual e programação especial entram no ar no site do Academy Museum. Um dos destaques será o conteúdo sobre o Oscar e Hollywood. No site, haverá uma linha do tempo interativa sobre a história da premiação, que no dia 25 chega à sua 93ª cerimônia. Ela também mostrará o passado e o presente de Hollywood. No tour virtual, diz a Academia, o público poderá passear por locais importantes relacionados ao Oscar por meio de fotografias antigas e atuais. Além disso, no mesmo dia, a curadora do museu, Diane von Furstenberg, vai conduzir uma conversa com mulheres que alcançaram marcos históricos no Oscar. Entre elas estarão Sophia Loren, primeira atriz a ganhar uma estatueta por um filme não falado em inglês, Whoopi Goldberg, a primeira mulher a conduzir sozinha a cerimônia do Oscar, e Marlee Matlin, a única atriz surda a receber um Oscar. Até setembro, outras atividades online estão previstas, entre elas conversas com o diretor Spike Lee e com a compositora Hildur Guðnadóttir, vencedora do Oscar de trilha sonora em 2020. ACADEMY MUSEUM OF MOTION PICTURES Programação virtual a partir do dia 22 de abril, no site www.academymuseum.org