Contragolpe, golpe, contra-ataque, ataque, defesa

·1 minuto de leitura
Ataque, contragolpe, contra-ataque, golpe FOTO MANJUNATH KIRAN/AFP via Getty Images

Eu prefiro sempre o ataque em muitos campos - embora para se defender nem sempre é preciso partir ao ataque. Contragolpe é uma arma legítima e eficiente. Mas não em todos os campos. Ainda menos em alguns livros que não gostam de quem é livre.

Existem várias maneiras de mandar em um campo e na coisa toda. Muitas delas são respeitáveis - desde que SEMPRE respeitem as regras do jogo, para não dizer da humanidade que precisa ser sempre respeitada. Como todo campeão é sempre respeitável, não necessariamente admirável, quem manda nem sempre merece o mandato. Ou o poder que dele vem. Mas desde que dentro das regras do jogo, favor respeitar - desde que haja respeito de quem defende e de quem ataca.

O contragolpe pode ser letal. Objetivo. Perigoso. Eficiente. Pragmático. Pode até ser necessário, bonito de ver. Depende de quem vê. Ou de quem sofre. Ou de quem ataca.

Mas, de fato, contragolpe mesmo é mais uma forma de atacar. De ir pra cima. De arrasar a terra alheia - ou até a própria mais garrida. Contragolpe, contra-ataque, de fato é um ataque como qualquer outro. Só que com menos gente chegando. De "surpresa" algumas vezes. Inesperado.

Certamente tão perigoso quanto.

Ou ainda mais quando tão cínico.