Fundador do Orkut promete retorno da rede social

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Se você se divertia nas comunidades do Orkut, nos depoimentos e nutria a nostalgia nos álbuns de fotos, saiba que o criador da primeira grande rede social a fazer sucesso no Brasil está dando um "alô" depois de 17 anos do nascimento de sua criação —que conquistou mais de 300 milhões de pessoas na internet.

Orkut Buyukkokten, fundador da plataforma, reativou o site orkut.com com um comunicado prometendo novidades para a rede social: "estou construindo algo novo. Vejo você em breve!", diz a mensagem.

"Nos dedicamos muito para tornar o orkut.com uma comunidade onde você pudesse conhecer pessoas reais que compartilhavam seus mesmos interesses, não apenas pessoas que curtiram e comentaram em suas fotos", acrescenta o texto.

A rede social foi criada em janeiro de 2004, e teve o Brasil como um dos países de maior público, chegando a 50% dos perfis. Uma curiosidade da força brasileira é que o comunicado de Buyukkokten é exibido em inglês e português.

Em 2008, o Orkut foi comprado pelo Google. Sua vida online durou até 2014. Na mensagem assinada pelo fundador, o tom do texto tem certa crítica às opções que existem de redes sociais de hoje.

"Trabalhamos muito para tornar o orkut.com uma comunidade onde o ódio e a desinformação não fossem tolerados. (...) Há tanto ódio online nos dias de hoje, e nossas opções para encontrar e construir conexões reais são poucas e bem escassas. Nossas ferramentas online devem nos servir, não nos dividir. Elas devem proteger nossos dados, não vendê-los", diz. "Eu quero que você seja capaz de ser o seu verdadeiro eu, online e offline."

Não existem detalhes sobre a data de lançamento e de como será a possível ressurreição do Orkut. Existe apenas a expectativa de fãs de que a rede social retorne com base no que o seu criador destacou: "Eu sou uma pessoa otimista. Acredito no poder da conexão para mudar o mundo. E é por isso que estou construindo algo novo."

No Twitter, o assunto está sendo um dos mais comentados.

Alguns usuários chegaram até a relacionar o retorno da rede social com Elon Musk e sua última aquisição — o Twitter.

Não é a primeira vez que circulam informações do retorno do Orkut. Em 2020, um fã da plataforma criou um app com o mesmo nome da rede social — e que, apesar da mesma aparência, não era o mesmo aplicativo. À época, a coleta de dados do programa também levantou uma certa suspeita.

Além disso, em setembro de 2014, um brasileiro esperto criou o "Orkuti", outro programa nos mesmos moldes. A cópia foi fechada pelo Google naquele mesmo mês. Em agosto de 2016, o app foi removido da Play Store, porém, menos de 24 horas depois, retornou com um novo nome: Orkut.one.

À época, o Google informou, em nota, não comentar sobre aplicativos específicos, mas ressaltou que as suas políticas "são projetadas para fornecer uma melhor experiência para usuários e desenvolvedores" e que o app teria violado tais regras. Hoje, o aplicativo se encontra fora da Play Store.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos