Fundação Palmares abre concurso para criação de logo sem o machado de xangô

·1 minuto de leitura

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) A Fundação Cultural Palmares abriu na manhã desta terça-feira (17) um concurso para substituir a logomarca da instituição, hoje estampada pelo machado de xangô. A instituição busca um símbolo "que remeta única e exclusivamente à nação brasileira", conforme descreve o edital.

Sob a justificativa de o Estado ser laico, o presidente da fundação, Sérgio Camargo, já havia sinalizado desagrado com a presença do orixá, oriundo do candomblé, na arte. "O logotipo da Palmares sempre me desagradou, mas eu achava que era uma palmeira estilizada. Santa ingenuidade!", afirmou no Twitter em maio.

A abertura do edital, que premiará a melhor criação com R$ 20 mil, foi publicada no Diário Oficial da União. Qualquer cidadão brasileiro maior de 18 anos e residente no Brasil poderá se inscrever no concurso, que será julgado por uma comissão formada por cinco servidores e presidida por Camargo. O resultado será divulgado em 7 de dezembro.

Desde que assumiu o comando da fundação, Camargo trava uma cruzada ideológica. Em junho, ele anunciou o expurgo de livros do acervo da instituição considerados esquerdistas ou imorais, de autores como Marx, Engels e Lênin. Segundo ele, nenhum livro seria descartado, mas doado.

A nova logomarca, que não poderá conter qualquer indicação de autoria como nomes e assinaturas, será utilizada em peças de comunicação como outdoors, banners e cartazes, além das redes sociais da entidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos