França quer conservar quadro de Cimabue vendido por 24 milhões de euros

"El Cristo burlado" de Cimabue, foto tomada el 23 de septiembre de 2019 en París

O ministério de Cultura francês anunciou nesta segunda-feira a proibição de exportar uma obra muito rara do pintor italiano Cimabue, vendida em um leilão em outubro por mais de 24 milhões de euros, para permitir sua compra para as coleções nacionais francesas.

O quadro do pintor italiano foi encontrado por acaso em uma mudança em uma casa de uma idosa em Compiègne, no nordeste de Paris.

Foi a primeira vez que um quadro de Cimabue (1240-1302), uma das maiores figuras do pré-renascimento italiano, foi leiloado há décadas, por mais de 24 milhões de euros com os custos incluídos.

Em um comunicado nesta segunda-feira, o ministério da Cultura francês informou que "após o parecer da Comissão Consultativa dos Tesouros Nacionales, o ministério da Cultura assinou um decreto negando o certificado de exportação".

A decisão ministerial abre "un periodo de trinta meses (...) para reunir os recursos necessários para a realização de uma aquisição em benefício das coleções nacionais públicas", informou o comunicado.