França devolverá obra de Klimt espoliada em 1938

·1 minuto de leitura
A ministra da Cultura francesa, Roselyne Bachelot, olha para o quadro "Rosebushes sob as árvores" (1905) do pintor austríaco Gustav Klimt, durante um evento para anunciar a restituição da obra de arte a uma família judia da qual ela havia sido despojada em 1938, no Museu d'Orsay em Paris, em 15 de março de 2021.

A França devolverá uma obra de Gustav Klimt a uma família judia depois de descobrir que foi espoliada em 1938 na Áustria, anunciou a ministra da Cultura, Roselyne Bachelot, nesta segunda-feira (15).

"Roseiras sob as árvores", do pintor austríaco (1862-1918), será entregue à família de Nora Stiasny, vítima do Holocausto. A obra foi tirada dela durante uma venda forçada em agosto de 1938.

A tela é por enquanto inalienável por força da lei, uma vez que pertence às coleções nacionais da França. Mas "o governo apresentará um projeto de lei o mais rápido possível" para permitir essa restituição, disse a ministra em entrevista coletiva.

É "a única pintura de Gustav Klimt que pertence à França", acrescentou.

Estava exposta no Museu d'Orsay em Paris depois de ter sido adquirida em 1980. Na época, não havia nada que indicasse que pudesse ter sido espoliada.

"Nos últimos anos, sua verdadeira origem foi descoberta", o que levou a família a pedir sua devolução no final de 2019, explicou Bachelot.

"'Roseiras sob as árvores' é uma prova das vidas que uma vontade criminosa tentou fazer desaparecer de forma obstinada", comentou a ministra no Twitter.

hh/app/mb/gf