França cancela maior festival de séries e Cannes não exclui sua anulação

Stand no salão Séries Mania em abril de 2018

O maior evento de séries da França, a ser realizado no final do mês, foi cancelado devido à disseminação do coronavírus, enquanto os organizadores do Festival de Cannes, programado para maio, indicaram não excluir seu cancelamento.

O Séries Mania reúne anualmente, sobretudo na cidade de Lille (norte), cerca de 80.000 visitantes e mais de 3.000 profissionais do setor, de acordo com seus organizadores.

"Devido à proibição de reuniões de mais de 1.000 pessoas e às inúmeras restrições que se aplicam aos deslocamentos dos nossos participantes franceses e internacionais, decidimos cancelar o evento", agendado entre 20 e 28 de março, explicou nesta quarta-feira (11) o presidente do festival, Rodolphe Belmer.

A França proibiu no domingo, salvo em situações excepcionais, congregações que excedam mil pessoas para tentar impedir a propagação do novo coronavírus, cujo balanço oficial no país é de 33 mortos e 1.784 infectados.

Já os organizadores do Festival de Cannes se mostraram otimistas na terça-feira sobre a realização do evento entre os dias 12 e 23 de maio, mas não excluíram um eventual cancelamento.

"Estamos razoavelmente otimistas, confiantes em que a epidemia atingirá o pico no final de março e que respiraremos um pouco em abril", disse o presidente do Festival, Pierre Lescure, ao jornal francês "Le Figaro".

"Mas somos conscientes. Se não for possível, cancelaremos", enfatizou.

Todos os anos, cerca de 40.000 pessoas são credenciadas para o Festival de Cannes e para o mercado de filmes que é organizado paralelamente. Nesta época do ano, a pequena cidade da Côte d'Azur francesa triplica sua população para 74.000 habitantes.

Este ano, o cineasta americano Spike Lee foi nomeado presidente do júri. A seleção de filmes em competição para a Palma de Ouro deverá ser anunciada em 16 de abril em Paris.

A revista especializada Variety revelou na terça-feira que o Festival de Cannes se recusou a assinar recentemente um seguro de cancelamento cobrindo as epidemias.

"Eles propuseram nos cobrir apenas cerca de dois milhões de euros, enquanto nosso orçamento chega a 32 milhões", afirmou Lescure.

"Não está acontecendo nada, já que temos reservas", acrescentou o presidente, citando a existência de um fundo de doações que lhes permitiria lidar com "pelo menos um ano sem renda".

Como em muitos outros países atingidos pelo novo coronavírus, os cancelamentos de eventos culturais estão se multiplicando na França.

Em Cannes, o Mip TV, o segundo maior evento profissional de televisão do mundo, agendado para acontecer de 30 de março a 2 de abril, também foi cancelado.