Fotos inéditas do gueto de Varsóvia são exibidas na capital polonesa

Uma série de fotos inéditas do gueto de Varsóvia, tiradas clandestinamente por um bombeiro polonês durante o levante ocorrido há 80 anos e encontradas em um celeiro, foram exibidas nesta quarta-feira (18) na capital polonesa.

"Fotos tiradas por alemães constituem quase a totalidade da documentação fotográfica do Holocausto. Atualmente, imaginamos o gueto através do seu olhar", declarou o historiador do Holocausto, o professor Jacek Leociak, em uma conferência no museu de História dos judeus poloneses.

"Este filme é um documento inestimável, pois supera a perspectiva alemã (...), a dos carrascos que fotografavam os judeus como vítimas desumanizadas, anônimas", acrescentou.

As fotos não mostram os combates. Em uma delas, tirada de um local alto, um grupo de judeus, homens, mulheres e crianças, é escoltado por soldados alemães armados para Umschlagplatz, o local de onde partiam para os campos de extermínio.

Em outra, em uma rua deserta, uma fumaça espessa encobre edifícios, enquanto escombros e cabos são vistos na calçada. Na terceira, bombeiros apagam as chamas de prédios incendiados.

Todas essas imagens têm uma atmosfera apocalíptica.

"São as únicas fotos que não foram tiradas pelos alemães (no gueto durante o levante) e que não foram realizadas com fins de propaganda", declarou à AFP Zuzanna Schnepf-Kolacz, uma das curadoras da exposição "Em volta de nós, um mar de fogo", que abrirá as portas ao público em  abril.

No total, há 33 fotos do gueto neste filme encontrado em dezembro. Todas foram tiradas por Zbigniew Grzywaczewski, bombeiro polonês que era convocado a apagar os incêndios provocados pelos nazistas após o levante do gueto de Varsóvia, em 19 de abril de 1943.

Os alemães incendiavam sistematicamente os prédios do gueto para fazer sair os insurgentes escondidos.

O gueto de Varsóvia foi criado pelos alemães um ano após a invasão da Polônia, em 1939. Seu objetivo era exterminar seus habitantes pela fome e por doenças, ou deportá-los para o campo de extermínio de Treblinka, situado 80 km a leste de Varsóvia.

Em 19 de abril de 1943, centenas de judeus atacaram os nazistas, pois preferiam morrer com armas nas mãos a serem levados para as câmaras de gás.

Apenas 12 fotos deste filme eram conhecidas até agora como cópias feitas em papel de má qualidade, mal emolduradas, e o filme foi considerado por muito tempo desaparecido.

As cópias foram entregues pelo autor a uma família judia que se escondia em seu apartamento durante a guerra e que emigrou em seguida para os Estados Unidos. Nos anos 1990, foram oferecidas por essa família ao Memorial do Holocausto, em Washington.

bo/eg/mb/mvv/am