5 hábitos naturais para fortalecer a imunidade e fugir dos vírus

Segundo especialistas, alimentação é essencial para uma imunidade forte

É comum voltar a atenção para a imunidade na transição do verão para o outono, quando ficamos mais propensos a manifestar os primeiros resfriados, as rinites e outras “ites”. Mas a pandemia do coronavírus tem colocado o tema como urgência. E é.

Com a imunidade em dia, é como se tivéssemos uma barreira de proteção. Mas nunca foi tão difícil cultivá-la: estamos cada vez mais expostos a agrotóxicos, poluição e hábitos nocivos que minam nossa saúde mental, que está intimamente ligada à imunidade. Estresse é um prato cheio para vírus e bactérias. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram,Facebook eTwitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Alimento como remédio, sim

Comida não faz milagre, não é vacina. Mas é prevenção e vitalidade. Como entusiasta de um estilo de vida natural, eu não poderia me apegar mais a uma linha de prevenção, se não a esta. 

O que podemos fazer em âmbito nutricional contra o coronavírus é reforçar a imunidade’, é o que tem alertado, em suas redes sociais, o nutricionista e Phd em food Science pela Cornell University - NY,  Luciano Bruno.

Não é milagre, é rotina

Claro, não há ervinha, chazinho ou suquinho que altere a imunidade da noite para o dia. É no dia a dia, na rotina, que se fortalece a imunidade. Mas é aí que, entram, sim, ervas, chás e alimentação em geral.

Luciano Bruno sugere inserir especiarias nas preparações, como alho, cebola, cúrcuma, e pimenta-preta.  “Mas não adianta se alimentar tão bem e exagerar na bebida, já que , segundo os especialistas, o álcool é um potente imunosupressor”, diz. O açúcar também é outro vilão da imunidade, pois atrapalha a capacidade das células de defesa matar microorganismos. 

Por olhar da ayurveda, aliás, que inspira boa parte das minhas escolhas no dia a dia, a digestão como um cerne de um organismo equilibrado e, por isso, o desjejum é praticamente o primeiro autocuidado do dia. No lugar de bebidas geladas e industrializadas, acompanhadas de pão e quitutes de farinha branca e açúcar, a sugestão é água morna com pitadas de cúrcuma (especiaria antioxidante!)  e limão, ou mesmo chás, como o de erva-doce, que ajuda na digestão sobretudo nas estações mais frias e secas.

Suplementação

Em alguns casos, segundo ele, a suplementação (com acompanhamento de especialistas) se torna necessária. “Zinco, ferro, magnésio, ômega 3, equinacea, glutamina, probióticos e  extrato de alho envelhecido ão alguns dos principais suplementos voltados para imunidade e prevenção”, diz. 

Reduza o estresse, cuide da higiene mental 

Meditação reduz ansiedade, estresse e equilibra o organismo

Ansiedade, estresse e medo são sentimentos e sensações que estão diretamente ligados ao nosso bem-estar físico também. “Um fluxo constante de hormônios de estresse, como cortisol, tem efeito imunosupressor a longo prazo”, afirma o médico especialista em estilo de vida Luis Sella, de são Paulo. 

E como a gente cuida da saúde mental? Evitando hábitos tóxicos - como excesso de tecnologia e notícias ruins -, apostando em hábitos que produzam seronotonina, como exercícios físicos e atividades prazerosas. E, claro, um hábito, barato, simples e fácil: meditar! Um estudo realizado por pesquisadores dos EUA e Espanha concluiu, segundo publicação do university of Wisconsin-Madison, que o hábito de meditar pode ser analgésico e anti-inflamatório, já que a meditação reduz as substâncias que causam estresse e dores no organismo.

Dormir é outro autocuidado essencial a favor da imunidade. “Durma no mínimo cedo, e  de 7 a 8 horas por dia. Evite a luz azul do celular antes de se deitar. E, se tiver dificuldade, beba um chá calmante, como de camomila, valeriana ou melissa”, sugere Sella.

​Aromaterapia para a imunidade

Tea tree, tomilho e lavanda reforçam a imunidade

A aromaterapia é a ciência que usa óleos essenciais extraídos de flores, sementes e frutos. Cada gotinha contida em um frasco é extremamente concentrada. Há muitos óleos essenciais com funções fungicida, bactericida, emoliente, anti-inflamatório, caso do Tea Tree, também conhecido como melaleuca.

Destaco também o óleo essencial de Tomilho, que possui timol, uma substância antisséptica. “Fortifica os os pulmões no tratamento de resfriados, tosses e inflamações de garganta. Aquece o corpo e ajuda a liberar o catarro”, afirma a aromaterapeuta da Samia Maluf, da By Samia. Para os ansiosos, a Lavanda é uma boa opção, inclusive, para relaxar e ajudar a dormir melhor em tempos de tanta tensão.

Uma das maneiras seguras de usá-la é inalando por meio de difusores de ambiente (uma espécie de umidificador) ou até pingando gotinhas em colares aromáticos. No dia a dia também pingo uma gota em um lencinho para inalar diretamente quando estou longe de casa. Lembro aqui que não é indicado pingar diretamente na pele.