Foragido por fraudar DPVAT, empresário é preso em resort de luxo após postar localização na internet

Empresário Marcio Cantoni, de Londrina, estava foragido da polícia. Foto: Reprodução/Facebook

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Empresário que teria aplicado golpe em ao menos 500 pessoas foi preso em resort de luxo em Monte Verde, distrito no Sul de Minas, após postar localização em rede social.

  • Segundo polícia, ele apresentou RG em nome de outra pessoa, ao ser abordado, e depois confessou verdadeira identidade; teria ainda pago R$ 5 mil a um policial para não ser preso.

Suspeito de liderar um esquema de fraude no pagamento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículo Automotor (DPVAT), o empresário Márcio Rodrigo Cantoni foi preso em um resort de luxo em Minas Gerais.

A informação foi divulgada pelo portal G1. De acordo com a Polícia Civil, Cantoni estava no distrito de Monte Verde, que fica em Camanducaia, no Sul de Minas, com a namorada. Foragido da polícia, ele foi detido após postar a localização na internet.

Leia também

Ainda segundo a polícia, o empresário apresentou um RG em nome de outra pessoa, ao ser abordado. Em seguida, no entanto, confessou a verdadeira identidade e disse ter pago R$ 5 mil a um policial para não ser preso em outra ocasião.

Cantoni e mais quatro pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) pelas fraudes em maio de 2017. A polícia estima que pelo menos 500 pessoas foram vítimas do golpe em todo o Brasil.

Na denúncia, o MP alegava que os suspeitos formavam um grupo "que tinha como objetivo identificar e angariar vítimas de acidente de trânsito e, em seguida ingressar com ações judiciais em nome delas, por meio de procurações e documentos falsos, pedindo indenização referentes ao seguro obrigatório”.

Ainda de acordo com o Ministério Público, os suspeitos, sob a liderança de Márcio Cantoni, "teriam se apropriado indevidamente dos valores recebidos em decorrência de indenizações, deixando de repassá-los a quem de direito, provocando prejuízos às vítimas”.

O empresário foi encaminhado para o Presídio de Extrema, em Minas Gerais, e responde por porte de drogas, corrupção ativa e uso de documentos falsos.

A prisão aconteceu no último dia 27, mas só foi divulgada pela polícia nessa sexta-feira (3). Procurado pelo G1, o advogado de Cantoni preferiu não se manifestar.

Cantoni é de Londrina, Norte do Paraná. O jornal Folha de Londrina publicou que o Ministério Público do Paraná, ao ser informado da prisão de Cantoni pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, solicitou a remoção da custódia para a cidade. Isso foi deferido já na noite dessa sexta-feira (3): a transferência foi acatada pelo juiz Marcos Caires Luz, que estava no plantão judiciário.

DPVAT

O DPVAT paga indenizações que podem chegar a R$ 13,5 mil. O pedido do seguro é gratuito e um direito de toda a vítima de acidente de trânsito no país.

Administradora do DPVAT, a Seguradora Líder informou que denuncia às autoridades todos os casos em que há suspeita de crimes. A seguradora alerta que os segurados não devem aceitar a ajuda de terceiros para conseguir o seguro obrigatório.