Foo Fighters e Ludmilla vão cantar no palco principal do The Town, em São Paulo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Foo Fighters é o primeiro headliner confirmado do The Town, festival que será realizado este ano em São Paulo pelos mesmos idealizadores do Rock in Rio. Além da banda americana, a organização anunciou o show de Ludmilla, que também está confirmada para a próxima edição do Rock in Rio, marcada para 2024.

O grupo comandado por Dave Grohl volta ao Brasil quatro anos depois de se apresentar no Rock in Rio. O show no The Town, marcado para o dia 9 de setembro, no palco principal, o Skyline, acontece após a morte do baterista Taylor Hawkins, no ano passado, às vésperas da apresentação do Foo Fighters na edição brasileira do Lollapalooza, que acabou cancelada.

A banda ainda não revelou quem vai assumir as baquetas no lugar de Hawkins nem com qual turnê vai pegar a estrada a partir deste ano, depois de passar os últimos meses fazendo apenas homenagens ao baterista. Nas redes sociais, o Foo Fighters só informou que seguiria tocando e anunciou sua presença em três festivais americanos.

Ludmilla também vai cantar no palco principal do The Town, o Skyline, só que no dia 7 de setembro. A escalação da cantora acontece depois de ela fazer no Rock in Rio do ano passado uma das apresentações mais elogiadas e também a com a maior audiência na televisão.

Na ocasião, Ludmilla fechou o palco Sunset, um pouco menor que o principal, o Mundo. Agora, além de confirmada no The Town, ela também vai retornar ao Rock in Rio, em 2024, só que desta vez vai ocupar o principal espaço do evento, o palco Mundo.

Além de Foo Fighters e Ludmilla, Criolo e Iza são os outros nomes confirmados no The Town. O festival estreia em São Paulo, no Autódromo de Interlagos, nos dias 2, 3, 7, 9 e 10 de setembro e deve ter ingressos à venda a partir da primeira semana de março.

Conhecido como o irmão paulista do Rock in Rio, The Town espera receber 500 mil pessoas ao longo dos cinco dias de shows e também promete melhorias em Interlagos. Entre elas, está a criação de uma rede de esgoto, para que o público não dependa mais de banheiros químicos, e a instalação de grama sintética sobre os 350 mil metros quadrados do Autódromo, para que não haja lama caso chova.