Viúva de Bolaños, Florinda Meza critica suspensão de “Chaves”: "É uma agressão"

·2 minuto de leitura
A atriz Florinda Meza, a Dona Florinda de "Chaves". Foto: reprodução/Instagram/florindamezach1
A atriz Florinda Meza, a Dona Florinda de "Chaves". Foto: reprodução/Instagram/florindamezach1

A atriz Florinda Meza, viúva de Roberto Bolaños, criticou em suas redes sociais o impasse nas negociações entre a emissora mexicana Televisa e os herdeiros do criador das séries “Chaves”, “Chapolin” e “Chespirito”. Com a briga, a exibição dos programas que marcaram gerações foram suspensas no Brasil e deixaram de ser exibidos no SBT, no canal pago Multishow e no serviço de streaming Amazon Prime Video.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

No Twitter, a intérprete de Dona Florinda esbravejou: “Qual a minha opinião sobre deixar de transmitir o programa Chaves? Ainda que eu não tenha nada a ver com isso, porque, inexplicavelmente, não fui convocada para as negociações, creio que agora, quando o mundo mais precisa de diversão, fazer isso é uma agressão às pessoas”.

Leia também:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em outras mensagens na plataforma, a atriz lembrou que as atrações “fazem parte do DNA da América Latina” e classificou a suspensão dos seriados como “uma medida pouco inteligente”.

“É triste comprovar que na sua casa, a quem você deu milhões de dólares, é onde menos te valorizam”, afirmou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Florinda afirmou, ainda, que considerava o ato um desrespeito ao legado de Bolaños, morto em 2014.

“Pela primeira vez encontro uma razão para dizer ‘Que bom que meu Roberto não está neste mundo’. Este ato incompreensível chuta sua memória e aquilo que ele mais respeitava: o público”, declarou ela.

Ela encerrou o desabafo com uma provocação, lembrando um dos bordões de Chaves: “Talvez alguns executivos sem visão querem apagá-lo, mas no coração e na memória dos bons que sempre o seguiram, estará mais vivo que nunca”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos