Flay recrimina fã por comentário racista sobre Thelma Assis: "Sou tão preta quanto ela"

·2 minuto de leitura
Flayslane critica comentário racista de fã. (Foto: Reprodução/Instagram @flay)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cantora e ex-BBB Flayslane, 25, usou as redes sociais nesta noite de terça-feira (22) para recriminar uma fã que repercutiu no Twitter após um comentário racista ao se referir à Thelminha, campeã da 20º edição do Big Brother Brasil.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

No Twitter, Flay logo se posicionou e respondeu à admiradora que chamou Thelma de "mucama da casa grande", se referindo ao período de escravidão no Brasil. "Não é possível que você esteja usando minha foto no icon e fazendo um comentário de bosta desses", escreveu.

Leia também

Flay continuou dizendo que a fã não a representava e afirmou que também é preta. "Tem tudo que mais odeio no seu comentário, e só para te lembrar, eu ou tão preta quanto ela. Nojo, e decepção”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Flay não parou por aí. A ex-BBB ainda reforçou em outro tuíte que era contra a qualquer tipo de racismo, já que afinal de contas também é preta. "Só pro caso de restar dúvidas em alguém ou alguém fingir demência ainda.. Eu não sou morena, eu não sou índia, eu não sou mulata, eu sou preta!".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Os internautas elogiaram a atitude da cantora e responderam com mensagens positivas. "Eu achei muito bom esse seu posicionamento, mesmo eu não gostando de você é muito bom ver isso."

Em recente entrevista ao F5, Flay disse que já sofreu muitos preconceitos por ser nordestina. Segundo ela, é preciso se blindar dos comentários negativos, coisa da qual ainda está aprendendo. "A galera é maldosa. Se eu for parar para processar o que a galera fala, comentários xenofóbicos, é muita coisa ruim... prefiro focar nos meus trabalhos", contou.