Flay e Neymar: a vergonha está no discurso machista

Flay e Neymar (Foto: Instagram / Montagem)

Flayslane mal saiu do 'BBB 20', mas já precisa lidar com machismo fora do confinamento — nunca dá trégua. E vindo de ninguém mais, ninguém menos, do que um dos jogadores de futebol mais comentados do momento, Neymar Jr. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo 

Se você não acompanhou a polêmica, nós explicamos: no último final de semana Flay confirmou em uma live com Mateus Mazzafera que teve um casinho com Neymar, mas que a “ficada” foi rápida e aconteceu quando o jogador estava solteiro. 

Leia também

A briga ganhou força quando o próprio soltou um comentário em uma foto do perfil 'Gossip do Dia' noticiando o caso, dizendo "Rir pra não chorar", debochando da confissão de Flay.

A cantora manteve o seu posicionamento, confirmando que ficou, sim, com o jogador e que não tinha porque negar o que aconteceu. Até mesmo o ex-marido de Flay, Jhonatan Ricarte, entrou na discussão pelas redes sociais, confirmando mais uma vez a história e dizendo que Neymar precisava "honrar as calças". 

Enfim, tudo isso para mostrar, como a própria Flay disse em seu Twitter, a prática de endeusar um homem e suas escolhas e descreditar as palavras de uma mulher. Esse movimento é extremamente comum em casos muito mais sérios que uma ficada, como de estupro e assédio sexual, em que o testemunho de uma mulher é descreditado por conta do gênero - não à toa a impunidade em casos como esses é tão comum. 

Fato é: Neymar não precisa confirmar para ninguém se ficou ou não com Flayslane em algum momento da vida, mas o problema é o deboche em relação ao comentário - como se ele fosse muito melhor do que ela e ficar com ela fosse motivo de vergonha -, e as críticas que se seguiram. 

As amigas da cantora, inclusive, decidiram intervir para comprovar a veracidade do caso e mostrar que, ao contrário do que os fãs de Neymar e críticos de Flay acreditam, a história não é uma invenção. 

"Não to afim de ficar vendo o ibope imenso que vocês estão dando pra uma ficada não, sério, vocês mesmos que endeusam esse homem, CHEGA", escreveu a cantora na rede de microblogs.  

As polêmicas acompanham a vida do jogador há tempos e essa não é a primeira vez que ele recebe críticas sobre a forma como trata as mulheres. Outro ponto que é válido lembrar é a fama que os homens de grande destaque, como o próprio Neymar, têm de se utilizarem de sua posição para se envolverem com qualquer mulher que queiram, sem a necessidade de justificativas. 

Cada pessoa é livre para fazer o que bem entende da própria vida, mas é necessário entender as consequências que cada ação tem. Um deboche como o de Neymar só comprova um tipo de atitude e comportamento que as mulheres têm combatido há décadas e que parece pequeno em um primeiro momento (mas não menos ofensivo), mas é base para uma questão muito maior e mais profunda. 

A forma como homens e mulheres são vistos ainda é diferente. O que há por trás do caso Flay e Neymar é um visão equivocada do que é a mulher ideal, a mulher aceitável diante da sociedade, uma da qual o homem pode "se orgulhar" (por mais bizarro que isso soe). 

São dois pesos e duas medidas. E, nisso, a mulher sai perdendo - afinal, é ela que precisa crescer e buscar apoio pra mostrar que a história é verdadeira, enquanto tudo o que o homem precisa fazer é continuar sendo homem. 

Nas palavras da própria cantora, não há vergonha alguma em ficar com alguém. Mas há, muita, em descreditar uma história para tentar manter uma fama (ou aumentá-la): "Não tenho rabo preso com ninguém pra ter que mentir sobre qualquer pessoa que eu já fiquei. Me poupe, era só fingir demência, foi só um rolê aleatório, Neymar, precisa ficar com vergonha, não. Eu, hein? Vou passar por mentirosa só porque tu és o Neymar e eu não sou ninguém não. Agora, eu tô [sic] com vergonha de ter ficado contigo."