Ninguém quer ser campeão?

Mauro Beting
·2 minuto de leitura

Antes de tudo: que trabalho do Cuca. Que história do Santos. Que campanha em 2020-21. Que vitória com os reservas no Morumbi. Que gol de bico do Jobson com 52 segundos da segunda etapa. Que defesas do João Paulo. Que partidas dos meninos da Vila Parte 359.912.

Antes de tudo: que vitória do Ceará. Que trabalho do Guto. Que vitória no Maracanã. Que atuação do Vina (mais uma), do Richard. Que trabalho bem feito fora de campo pelo clube.

Antes de mais nada: não lembro dois dos maiores candidatos ao título brasileiro (ao menos para mim até a rodada de quarta-feira...) perderem dois jogos do modo como São Paulo e Flamengo perderam. E não estão mesmo se encontrando.

No San-São, com Luan de volta para reequilibrar o sistema defensivo, mas com Luciano fazendo mais falta do que o esperado mais uma vez, o São Paulo só teve duas chances no primeiro tempo: um chute fraco como o jogo de Daniel Alves, e o belo passe que ele deu para Juanfran chegar tarde. O gol do Santos no recomeço escancarou o nervosismo tricolor, com o time todo à frente no final, com quatro atacantes, três meias, um zagueiro, e poucas ideias e inspiração.

Mais ou menos como o Flamengo que também ficou muito com a bola, perdeu muitos gols com Pedro que fazia todos eles, mas de novo não funcionou coletivamente. Muito por individualmente não estar funcionando desde a saída de JJ. Claro que se espera mais de Ceni que agora tem semanas cheias para trabalhar com elenco de qualidade e quantidade. Mas o time não evolui. Também por jogadores não estarem nem perto de jogar tudo que levaram tão longe o time espetacular do segundo semestre de 2019. Responsabilidade que é de Ceni. Mas não só dele.

O Inter está aproveitando a brecha e vai empilhando resultados melhores do que os desempenhos (como muitos dos times no BR-20. A quinta vitória seguida no Brasileirão foi conquistada com o primeiro gol como profissional do promissor Praxedes. Mas foi pouco. Criou pouca coisa, embora não tenha sofrido contra o frágil Goiás. É mais um time que era líder e se discutia a liderança, caiu para o sexto lugar e não se falava mais, e agora está voltando ao bolo. Como ainda podem estar o Atlético. E quem sabe ainda Grêmio e Palmeiras.