Flamengo e Diego Alves seguem impasse por renovação, e líderes se irritam

Diogo Dantas
·1 minuto de leitura
Divulgação

A permanência de Diego Alves no Flamengo ganha ares de filme de suspense. A menos de 30 dias para o fim do contrato, que vence dia 31 de dezembro, a relação do goleiro com a diretoria rubro-negra segue estremecida. E não houve avanços nas negociações por um acordo financeiro que leve o veterano a aceitar a proposta de renovação do clube.

Se nada mudar nas próximas semanas, o Flamengo terá que ir em busca de outro profissional para 2021, já que Hugo Neneca ainda está em maturação.

A demora para resolver a situação de Diego Alves não tem sido bem vista pelas principais lideranças do elenco do Flamengo, como Filipe Luis, Diego Ribas, Gabigol, Rodrigo Caio e o capitão Éverton Ribeiro. O goleiro é visto como uma das principais vozes do grupo, dentro e fora de campo.

Ao aceitar a proposta financeira do departamento de futebol, na figura do diretor Bruno Spindel, e depois saber que o departamento financeiro vetou os números, Diego Alves esfriou sua relação com a diretoria. O vice de futebol Marcos Braz entrou em cena, mas não conseguiu resolver.

Esta semana, o vice de finanças Rodrigo Tostes, que vive nos Estados Unidos, chegou ao Rio, e a cúpula do clube deve se debruçar sobre o tema nos próximos dias. Até o jogo com o Racing, na volta das oitavas de final da Libertadores, nenhum acordo tinha sido alcançado. O cenário financeiro piorou com a eliminação na Copa do Brasil, que influencia nas contas do clube.