Flagrante: Policiais militares agridem jovem negro em Pernambuco

Alma Preta
·2 minuto de leitura
Rapaz aparenta ser menor de idade e levou socos no rosto; policial tomou celular de uma testemunha que gravou a agressão que viralizou nas redes sociais
Rapaz aparenta ser menor de idade e levou socos no rosto; policial tomou celular de uma testemunha que gravou a agressão que viralizou nas redes sociais

Texto: Juca Guimarães Edição: Lenne Ferreira

Um rapaz negro ainda não identificado foi violentamente agredido por policiais militares no estado de Pernambuco. Segundo informações que circularam nas redes sociais ao longo deste domingo (27), o jovem, que aparenta ser menor de idade, estava sentado ao lado de um amigo na praça Praça da Cohab 1, em São José, Palmares, na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

O caso repercutiu depois que um vídeo de um minuto flagrando a agressão foi postado no Facebook. É possível perceber que o rapaz leva o primeiro soco no rosto quando ainda está sentado no banco. O policial aparenta dar uma ordem para que ele fique de pé. Nesse momento, outro policial se aproxima. Na sequência, o policial dá um soco violento no rosto do adolescente. No segundo seguinte, o outro policial também dá um soco forte o suficiente para que o rapaz rodopie no próprio eixo. Pelas cenas, dá para perceber que o jovem fica desorientado.

Os policiais também tomaram o aparelho celular de um outro rapaz que estava na mesa ao lado gravando a cena. A descrição do vídeo qe já foi publicado em diversas redes do Estado, os policiais militares são vinculados ao 10º Batalhão da PM.

A Agência Alma Preta entrou em contato com a Secretaria da Casa Militar de Pernambuco, com a Secretaria de Defesa Social e com a Secretaria de Comunicação questionando a atitude dos policiais militares, qual era o motivo da operação no local e o que aconteceu após as agressões.

Em nota, a Polícia Militar de Pernambuco disse que o vídeo que circula nas redes sociais “está sendo analisado e devidamente apurado pelo 10º BPM, o qual já instaurou o devido procedimento investigativo legal, para avaliar as circunstâncias do fato e atribuir responsabilidades”.

Segundo a PM-PE, a ação policial decorreu de um abaixo assinado de moradores com queixas de transtornos provocados por um bar, enviado ao Ministério Público e encaminhado para o 10º BPM. “Policiais foram acionados para ir ao local, na praça da Cohab-1, em Palmares. Ao chegar, determinaram que o som fosse baixado e vários jovens começaram a gritar e insultar de forma generalizada o efetivo. Após várias abordagens a situação foi controlada”, diz a nota.

Ainda de acordo com o comunicado, a postura dos policiais militares durante a abordagem “apresenta-se como um fato isolado, fora dos padrões de atuação de sua equipe”.