'Fiquei introspectiva e insegura', diz Mari Gonzalez sobre plano dos homens para 'queimar' sua imagem no BBB

Gilberto Júnior
1 / 2
Mari Gonzalez

Durante as semanas em que Mari Gonzalez esteve confinada na casa do Big Brother Brasil, Jonas Sulzbach atuou com uma espécie de assessor da namorada. Organizou mutirões toda vez que a companheira estava berlinda. Na tranquilidade do lar e um quinto lugar no programa, a baiana, de 26 anos, diz que o amado não lhe passou um roteiro de como agir no reality show e que ficou assustada com os comentários maldosos que alguns colegas de confinamento fizeram a seu respeito. Numa entrevista exclusiva, ela também fala sobre o plano machista de alguns homens da casa para desestabiliza-la no jogo. Confira os melhores trechos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

Como você avalia sua participação no BBB?

Tenho muito orgulho da minha participação no programa. No início, tive alguns obstáculos, algumas punhaladas que me abalaram e me deixaram triste. E isso me fez ficar um pouco introspectiva, mas logo depois comecei a brincar e a ser a menina que sou aqui fora.

Leia também

Alguns homens do reality tramaram diretamente contra você, numa tentativa de fazer com que você traísse o Jonas e , com isso, “queimar” sua imagem. Como foi lidar com o machismo?

Foi uma das coisas que mais me decepcionaram dentro da casa. Fiquei muito triste com tudo que aconteceu, com os planos contra mim, as atitudes. Mexeu muito comigo. Fiquei introspectiva e insegura.

Pensou em desistir?

Em nenhum momento pensei em desistir, porque eu sabia que estava ali por algum propósito. Não passamos só por coisas boas na vida. Sabia que não estava ali à toa. Então, não pensei em sair, não!

Jonas lhe ajudou com dicas para se manter no jogo por tanto tempo? Afinal, ele foi o terceiro colocado na edição de 2012.

Até ouvi isso, mas não existe script. Você é inserido ali e cada edição é diferente. Você tem que viver de acordo com o que está acontecendo. Jonas disse clichês: seja você mesma, dance, curta, chore. Eu segui minha intuição e vivi intensamente.

Você saiu de um confinamento diretamente para outro, pois a recomendação é ficar em casa (quem pode) para tentar conter o avanço do novo coronavírus. Como foi encontrar o mundo de um jeito totalmente diferente do que tinha deixado?

Ainda na casa, recebemos a notícia e ficamos preocupados. Quando saí, vi que a situação era mais grave do que imaginava. Realmente, saí do programa e encontrei o mundo de outro jeito. E agora estou tendo que me adaptar a essa nova realidade. Seguir as instruções, cuidar da saúde, dar valor a nossa família. É um momento de ressignificação.

O que te assustou?

Não imaginava que a situação aqui fora estava assim por causa da Covid-19. Também fiquei assustada com os comentários maldosos de alguns participantes do programa em relação a mim. Fiz tudo o que queria. Fui eu, e isso que realmente importa.

Como tem sido seu isolamento?

Cheguei e fui colocar a casa em ordem (risos). Estou aproveitando para montar projetos, me dedicar ao meu lado espiritual e meditar. Também voltei aos treinos.

E quais são os planos?

Quero me dedicar as redes sociais. Amo trabalhar com a comunicação direta com o público e criando links entre as pessoas e as marcas.