Filme 'Lightyear' é banido de países do Oriente Médio por beijo lésbico

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.08.2019 - O ator Marcos Mion durante espetáculo
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.08.2019 - O ator Marcos Mion durante espetáculo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O novo longa-metragem da Pixar, "Lightyear", filme derivado de "Toy Story" que conta a história do patrulheiro espacial Buzz Lightyear, não será exibido em alguns países do Oriente Médio, como Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Kuwait por ter cenas LGBTQIA+.

Segundo o site The Hollywood Reporter, isso aconteceu porque uma das protagonistas do filme de animação irá viver um romance homossexual. Outros filmes da Disney já foram proibidos devido à inclusão de cenas LGBTQIA+.

"Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" (2022), "West Side Story" (2021) e "Eternos" (2021) são alguns deles. No caso de "Lightyear", a Disney teria pedido para os animadores da Pixar que a cena do beijo lésbico fosse cortada.

Porém, após funcionários da companhia declararem que a Disney estava censurando uma "afeição abertamente gay", o pedido foi retirado e a cena do beijo permaneceu na versão final. O longa é dirigido Angus MacLane ("Procurando Nemo") e chega aos cinemas brasileiros nesta quinta (16).

No Brasil, o apresentador e ator Marcos Mion dará voz ao patrulheiro espacial. Já na dublagem original, a voz do personagem icônico será feita por Chris Evans, 39, que esteve em grandes produções como "Entre Facas e Segredos" (2019) e "Vingadores: Ultimato" (2019).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos