Filme de Wagner Moura sobre Marighella é aplaudido no Festival de Berlim

(Imagem: Ariela Bueno/Divulgação O2)

A primeira exibição de ‘Marighella’, durante o Festival de Berlim, teve recepção positiva. O longa, que traz Seu Jorge no papel do guerrilheiro e escritor assassinado durante a ditadura militar, em 1969, marca a estreia de Wagner Moura como diretor. Ao final da sessão desta última quinta-feira, jornalistas de diversas partes do mundo aplaudiram a obra.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

O filme, que deve estrear daqui alguns meses no Brasil, promete provocar um debate acalorado, especialmente num momento de sociedade polarizada. Em todas as entrevistas que deu até aqui para falar do longa-metragem, Moura demonstrou estar preparado para isso.

“Marighella não era bonzinho, era um radical enfrentando uma força opressora com violência semelhante à que estava submetido”, declarou à Folha de S. Paulo, já dando um indício do tom itenso que escolheu para narrar esta trajetória.

Os relatos de quem acompanhou a sessão comparam o clima do filme a ‘Tropa de Elite’, que inclusive ganhou o Urso de Ouro, prêmio principal, quando passou pelo Festival de Berlim, em 2008. Porém, o feito não pode ser igualado por ‘Marighella’, que foi exibido em caráter especial, fora da competição oficial.

Inspirado em livro escrito por Mário Magalhães, o roteiro se concentra nos últimos cinco anos da vida do protagonista. Bruno Gagliasso interpreta o policial encarregado de capturar Marighella. O elenco ainda conta com Adriana Esteves, Herson Capri e Humberto Carrão.