Figurinista Carol Gama fala sobre os looks de Deborah Secco para a Copa: 'Quiseram apenas julgá-la'

A Copa do Mundo do Catar começou há mais de uma semana, mas os looks usados por Deborah Secco durante o programa "Tá na Copa", do SporTV, ainda tem dado o que falar. Um dos mais "polêmicos" foi o da estreia, em que parte da calcinha da atriz aparecia, combinada a uma calça cargo e um cropped feito da camisa oficial do canal, usada por todos os apresentadores.

Para a figurinista do canal, Carol Gama, o efeito "choque" já era esperado, apesar da escolha pelo look não ter sido feita com essa intenção.

"Era o look mais transgressor, mas não foi pensado pra chocar. Venho do figurino do jornalismo, entendo o público do SporTV e tinha certeza que teria toda aquela repercussão. Porque estamos lidando com um público conservador e que na maioria das vezes não consome informação de moda. E aquela roupa tinha muita", disse ela, em exclusiva ao ELA.

Carol conta que teve muita liberdade para criar e escolher todos os figurinos ao lado do stylist da atriz Erick Maia, e acredita que a preocupação maior do público foi, em um primeiro momento, apenas julgar Deborah.

"Ninguém reparou que os meninos (os apresentadores com quem a atriz divide a cena, Magno Navarro e Igor Rodrigues) também tinham uniforme customizado... pra você ver como o olhar está sobre a mulher, sim. Não se preocuparam em analisar o contexto todo do programa, quiseram apenas julgá-la", acredita a figurinista.

"Lembro que na minha primeira reunião com ela e o Erick, ela estava nervosa com a ideia de ter que vestir o uniforme padrão porque entendia o peso daquela roupa e porque não se sentia no lugar de especialista para vesti-la. Mas o conceito era exatamente o contrário: trazer as peças do uniforme para o universo dela", falou Carol, dizendo que ressignificou as peças “base” do uniforme a partir de customização e truques de styling. "A ideia era criar um uniforme que não uniformiza, mas individualiza."

E para os próximos dias que ainda temos de muito futebol e Deborah na telinha, Carol adianta que vem coisa boa por aí: "Temos os 15 primeiros looks prontos e agora estamos desenvolvendo os outros. É um trabalho muito gostoso e divertido, de brincar com a roupa. Estamos quebrando essas imposições de dress code aos poucos. Isso é reflexo de uma avanço social, é uma discussão muito maior", finalizou.