'O que fez o Arthur é uma falta de respeito', diz presidente do Barcelona

·3 minuto de leitura
O meia brasileiro Arthur durante uma partida do barcelona contra o Athletic Bilbao em 23 de junho de 2020 no Camp Nou
O meia brasileiro Arthur durante uma partida do barcelona contra o Athletic Bilbao em 23 de junho de 2020 no Camp Nou

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, considerou "uma falta de respeito" a decisão de Arthur Melo de não se juntar à equipe após sua transferência para a Juventus, insistindo que é "um ato inaceitável de indisciplina".

"O que Arthur fez é falta de respeito por seus companheiros de equipe, porque o time quer ir bem na Liga dos Campeões. E também pelo clube", afirmou Bartomeu em entrevista ao jornal espanhol Sport.

"Não é lógico que, disputando um título tão importante, um jogador decida sair", insistiu o presidente do Barça, nesta entrevista que o jornal de Barcelona publicará no domingo, mas que teve um trecho divulgado em seu site neste sábado.

"É injustificável e totalmente incompreensível", acrescentou Bartomeu, cujo clube estuda medidas contra o meia brasileiro.

Sem ter conquistado o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões se tornou o torneio para salvar a temporada do Barcelona, mas o meia brasileiro não se juntou ao grupo como planejado.

Os jogadores do Barça voltaram aos treinos nesta semana, depois de alguns dias de folga após o fim do Espanhol em 19 de julho, tendo em vista o encontra de volta pelas oitavas definal da Liga dos Campeões, em 8 de agosto, contra o Nápoli (1 a 1, na primeira partida), mas Arthur não apareceu.

- 'Ato de indisciplina' -

O time catalão e a Juve anunciaram em 30 de junho a transferência de Arthur Melo para o clube italiano, em troca do bósnio Miralem Pjanic, embora ambos os jogadores permaneçam em seus clubes até o final das competições oficiais da temporada 2019-2020, com datas de encerramento alteradas devido à pandemia do novo coronavírus.

"Chegamos ao acordo de que, até o final da Liga dos Campeões, ele continuaria jogando pelo Barça, tanto no Espanhol quanto na Liga dos Campeões. Ele é um jogador que tem uma certa importância no time e que poderia nos ajudar", disse Bartomeu ao Sport.

"Mas ele não apareceu do retorno das mini-férias. É um ato inaceitável de indisciplina e é por isso que abrimos uma medida contra ele, porque não há argumento para justificar sua ausência. Ele ligou e disse: 'Eu não voltarei, ficarei no Brasil'", explicou o presidente do Barça.

"A decisão é dele. Ninguém lhe deu permissão", destacou Bartomeu.

O jogador não atuou em nenhum dos últimos jogos do Campeontao Espanhol e, na última rodada, não foi relacionado supostamente por problemas no tornozelo.

"Sobre Arthur, vou comentar que o jogador chegou ao treinamento e me disse que sentia desconforto no tornozelo", declarou o técnico Quique Setien antes da última partida pelo torneio, contra o Osasuna (derrota por 2-1).

A frase foi interpretada pela imprensa local como uma ação de Arthur de evitar ir à campo pelo Barça.

Contratado pela equipe espanhola no meio do ano de 2018, Arthur chegou com a missão de substituir Xavi Hernández no meio-campo, mas não conseguiu se firmar entre os titulares.

- 'Setién tem contrato' -

Bartomeu também aproveitou a entrevista ao Sport para reiterar que o técnico Quique Setién nunca esteve em perigo de perder o cargo.

"Setién tem um contrato. Quando o contratamos, explicamos a ele que era um projeto para esta temporada e toda a seguinte. Medir um treinador por alguns meses, com uma pandemia no meio, é muito difícil", declarou Bartomeu.

"Em nenhum momento pensamos em uma mudança de técnico", insistiu o presidente do Barça.

"Não conversamos com ninguém, nem com Laurent Blanc nem com ninguém", afirmou o dirigente, antes de especificar que "com Xavi (Hernández) eu falo porque temos um bom relacionamento, mas ele recentemente renovou com sua equipe (Al-Sadd, do Catar)".

"Xavi virá um dia para treinar no Barça e ele decidirá quando", concluiu Bartomeu.