Festival Levada comemora 10 anos com shows presenciais

·3 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Começa nesta quarta-feira (8), no teatro Rival Refit, no Rio de Janeiro, a comemoração de 10 anos do festival Levada, com shows de artistas da música brasileira independente. A festa vai até sábado (11), com os shows acontecendo sempre às 20h30.

Nos dez anos de existência o festival divulgou 121 artistas de todas as regiões do país. Entre eles, o BaianaSystem, Letrux, Cris Braun, Aíla, e Silva. Nos shows de comemoração irão se apresentar a banda Carne Doce, Juliana Linhares, Foli Griô Orquestra e Maglore.

Carne Doce, banda de Goiânia que estreou na edição de 2013 do festival, é quem fará o show de abertura do Festival Levada 10 anos. No show desta quarta-feira (8), a banda mostra sua universalidade sonora entre dub, reggae, samba e trap por meio das composições do álbum "Interior" (2020). A Carne Doce é formada por Salma Jô (letras e voz), Macloys Aquino (guitarra e voz), Aderson Maia (baixo), João Victor Santana (guitarra, sintetizador e programações) e Fred Valle (bateria e percussões).

A cantora, compositora e atriz Juliana Linhares, potiguar radicada no Rio de Janeiro, também vocalista da banda Pietá (atração do Levada em 2019) e do trio feminino Iara Ira, está de volta ao Festival Levada para cantar as músicas do seu "Nordeste Ficção", primeiro disco solo, imaginado como um roteiro de teatro, um romance de autoficção e uma espécie de docudrama cinematográfico.

Conhecida por misturar afrobeat às manifestações populares brasileiras, a Foli Griô Orquestra é uma banda de dez integrantes que faz um som magnético. Na apresentação do grupo para o festival músicas dançantes e quase espiritualizadas do álbum "AJO" (2019). Juntos desde 2015, os músicos vêm moldando uma sonoridade potente, que soma os ritmos tradicionais brasileiros a elementos do afrobeat nigeriano, tendo como principal referência Fela Kuti. O espetáculo será carregado de influências ancestrais, como bumba-meu-boi, jongo e maracatu, com toques do candomblé e do funk.

O último show do festival será da banda soteropolitana de rock alternativo Maglore, com um roteiro que privilegia os maiores sucessos de seus quatro álbuns de estúdio: "Veroz" (2011), "Vamos pra Rua" (2013), "III" (2015) e "Todas as Bandeiras" (2017). Estão garantidas "Mantra", "Café com Pão", "Aquela Força" e "Motor", música que teve versões nas vozes de Gal Costa e Pitty.

A 10ª Edição do Festival Levada continua a partir de 25 de janeiro de 2022, com mais oito atrações (a serem confirmadas) que irão se apresentar no Estúdio Labsonica, além de uma exposição sobre os dez anos do festival no Centro Cultural do Oi Futuro, no Flamengo, a partir de 2 de fevereiro.

*

10ª EDIÇÃO FESTIVAL LEVADA

ARTISTAS Vários

QUANDO De quarta-feira (8) a sábado (11), às 20h30

ONDE Teatro Rival Refit, r. Álvaro Alvim, 33, Cinelândia, Rio de Janeiro, tel. (21) 2240-4469

QUANTO De R$ 10 a R$ 20. Vendas pelo SYMPLA e na bilheteria. Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta a sexta, das 15h às 20h; aos sábados e feriados, das 16h às 20h30 (somente em dias de show)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos