Festival gay em Noronha ressalta importância da tolerância: "Ser quem você quiser"

Colaboradores Yahoo Vida e Estilo
Festival Love Noronha é resistência da ilha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)
Festival Love Noronha é resistência da ilha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)

Por Felipe Abílio (goabilio)

Bandeiras do arco-íris por todos os lados, corpos sarados e paisagens paradisíacas. Isso poderia ser a descrição de uma festa em Tel Aviv ou Mykonos, destinos gays conhecidos mundialmente, mas essa transformação toda aconteceu em Fernando de Noronha.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

A ilha de três mil habitantes abraçou pelo oitavo ano o festival LGBTQ+ ‘Love Noronha', um evento que tem a proposta de unir amor, música com boa gastronomia e uma natureza exuberante. “Dormir é para os fracos”, dizia Maria do Céu, a idealizadora do projeto, enquanto recebia os convidados para a festa ainda no aeroporto.

Leia também

“Sou uma mãe militante que se preocupa com toda a comunidade"

Maria é uma das maiores ativistas de Noronha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)
Maria é uma das maiores ativistas de Noronha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)

Maria comanda três bares na capital pernambucana e é conhecida de longa data da comunidade recifense. Além disso, ela também abre a sua própria casa para acolher pessoas LGBTQ+ que foram expulsas de casa. Bissexual e casada, ela tem dois filhos homossexuais, e não se cansa de militar pela família.

“Sou uma mãe militante que se preocupa com toda a comunidade. Tem muitos LGBTQs morando na ilha, que trabalham e amam aqui. O 'Love' dá a oportunidade de trazer o ilhéu (morador da ilha) para participar das festas e dos eventos, abrir a mente. Até brinco: se alguém quiser proibir o 'Love Noronha’ de acontecer no território nacional, acho que vai ter uma dificuldade muito grande porque vai mexer com a comunidade de Noronha”, provoca.

Pela sétima vez realizando essa festa, Do Céu se orgulha ao falar dos motivos que a levaram a escolher Noronha para sediar e receber o público LGBTQ+. “O que me incentiva a fazer o evento aqui é pela maneira como somos recebidos. As pessoas têm orgulho da bandeira colorida mesmo sem serem da comunidade, elas têm orgulho em colocar na pousada, no táxi, na porta da delegacia, no hospital. Daí a gente já vê esse acolhimento e aproveita para trabalhar a cidadania com os ilhéus que também participam dos eventos”, explica.

Casais aproveitam o 'Love Noronha' (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)
Casais aproveitam o 'Love Noronha' (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)

Na ilha, Maria é querida por todos. Sempre sorridente e prestativa, ela não nega um brinde com champanhe e trata todo mundo sem distinção. E é exatamente isso que acaba atraindo o publico LGBTQ+ brasileiro e internacional. Pedro HMC, criador do canal 'Põe na Roda’, explica o motivo que o levou a escolher o festival para comemorar a lua de mel com o marido, o policial civil Paulo Vaz.

A gente vive atualmente uma política conservadora que quer minar e acabar com o turismo LGBTQ+ no país, e esse evento vem para reafirmar a nossa importância para o turismo brasileiro. Estamos aqui para mostrar que existimos e que vamos continuar resistindo

Diversidade a bordo

Festival 'Love Noronha' agita a ilha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)
Festival 'Love Noronha' agita a ilha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)

Em um ano no qual o presidente brasileiro veta apoio a filmes com temática LGBTQ+ por meio da Ancine, o turismo do governo britânico decidiu apoiar o festival e mostra como trabalha a diversidade dentro e fora de seu país, através do programa ‘Love Is Great’. Para comemorar a parceria com o evento, a maior escuna da Ilha surgiu no porto como um arco-íris. O lugar parou. Do lado de fora, uma fila enorme de convidados se forma para embarcar. Com dezenas de pessoas ostentando mini sunguinhas e até looks mais extravantes, a escuna zarpa rumo ao pôr do sol mais cobiçado do Brasil, ao som dos DJs Pax, Carol Ribeiro e Alex Sajanovich.

Malcolm Griffiths, diretor do Brasil do 'Love Is Great’, afirma a importância de aproximar o turismo dos dois países. “É uma grande oportunidade para defender direitos humanos, a preservação do ambiente para aproveitar no futuro e usar como ferramenta para o desenvolvimento econômico sustentável a fim de melhorar a vida da população”, explica.

O barco navega em ritmo de festa por cinco horas nas águas calmas e azuis de Noronha. Com algumas paradas, os convidados podem nadar e aproveitar o contato direto com a natureza.

Yasmin Martins, que é nativa da Ilha, explica o motivo que faz os moradores esperarem pelo festival todos os anos. “Aqui na ilha você pode ser o que você quiser. Muita gente lá fora tem medo de contar para o pai, para a mãe, ou alguém da família sobre a sua sexualidade, mas quando vem para cá trabalhar, você pode ser quem realmente é. A ilha tem essa magia.”

Festa dia e noite

Festa dia e noite em Noronha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)
Festa dia e noite em Noronha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)

Dividido em quatro dias, o 'Love Noronha’ propõe atividades como mergulhos e passeios no mar para explorar a ilha durante o dia. Logo na chegada, Maria trata de explicar bem as regras de Noronha. “É recomendado não entrar no mar de manhã e nem depois das cinco da tarde, é a hora que os tubarões saem para comer”, explica ela, gerando desconforto em alguns.

Com um ecossistema muito bem equilibrado, os tubarões não costumam atacar os humanos, mas podem morder por defesa ou, por exemplo, se confundir uma pessoa com um cardume de peixe na quebra da onda. “Nade só em lugar sem onda, onde ele pode ver que você é humano (risos), não entre na rota dele e jamais tente fazer uma selfie ou pegar algum animal. A gente precisa preservar tudo do jeitinho que está, e a multa é altíssima”, disse.

A empresária lembra que, em fevereiro de 2017, um casal foi multado em R$ 20 mil reais pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), pelo crime ambiental de molestar um animal dentro de área de preservação. Uma turista pegou um tubarão-limão, que está ameaçado de extinção, para tirar uma foto. Além da multa, ela tomou 17 pontos na mão, por conta da mordida quando tirou o bicho da água.

Mas o clima esquenta mesmo durante a noite, quando as pick-ups afiadíssimas são ligadas com muito eletrônico, pop e funk. Todos os dias tem pelo menos uma festa.

Cintia Rodrigues, natural de Noronha, também festejou a volta do Festival à ilha depois de um ano de recesso. O 'Love' não aconteceu em 2018 por causa das eleições e da Copa do Mundo. “A presença do festival aqui é importante para tudo, mostra que o mundo está superatualizado e maravilhoso de se viver. Aqui em Noronha todo mundo é mais aberto.”

Festival 'Love Noronha' agita a ilha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)
Festival 'Love Noronha' agita a ilha (Foto: Amanda Dias Bu - Amora Filmes / Divulgação)

Comida local feita com amor

Dentro da proposta de boa gastronomia do circuito, o famoso Festival Gastronômico da Pousada Zé Maria também fez parte da programação. Com uma mesa farta de peixes, saladas, farofas e todo o tipo de comida, o público tem a oportunidade de conhecer e provar a culinária local. Sempre alegre, o empresário Zé Maria, que comanda a pousada com seu nome há 28 anos, fala sobre o carinho que recebe do público LGBTQ+ a cada edição do festival.

“O LGBTQ+ traz alegria, diversidade, beleza e envolvimento, e é isso que a gente sempre apoiou e sempre vai apoiar”, pontuou Zé Maria.

Quando

O evento acontece no mês de agosto e custa cerca de R$ 2 mil.