Com filme premiado e polêmicas, 2019 foi o ano de Fernanda Montenegro

Redação Vida e Estilo
Fernanda Montenegro attends the 41st International Emmy Awards at the Hilton New York in New York City. �� LAN (Photo by Lars Niki/Corbis via Getty Images)
O 2019 da atriz Fernanda Montenegro: fez 90 anos, lançou livro, filmes, fez novela e acabou envolvida em polêmicas (Lars Niki/Corbis via Getty Images)

Com uma carreira brilhante há 69 anos, Arlete Pinheiro (nome de batismo), Fernanda Montenegro chegou aos 90 anos em 2019 no auge e fez desse o seu ano. Sem dúvidas, a atriz foi um dos nomes mais comentados na mídia nacional por inúmeros motivos, desde as comemorações de seu aniversário, lançamento de livro, estreia de filmes premiados, como também polêmicas políticas com o atual governo federal.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Relembre um pouco dos acontecimentos que fizeram de 2019 o ano de Fernanda Montenegro.

Leia também

Matadora em novela

No início de 2019, a atriz retomou sua parceria com Walcyr Carrasco para a primeira parte da novela ‘A Dona do Pedaço’, na qual surpreendeu como a velha matriarca de uma família de matadores de aluguel. Fernanda inclusive foi responsável por uma das cenas mais impactantes da novela, em que matou quase toda a família rival antes de morrer e sair da história.

Livro sobre sua vida

Em setembro de 2019, ela antecipou as comemorações do seu aniversário e lançou sua autobiografia ‘Prólogo, Ato, Epílogo’ pela editora Companhia das Letras, em parceria com Marta Góes. No livro, Fernanda conta a história de sua família na Europa, os primeiros encontros com o ator Fernando Torres (de quem é viúva), a trajetória artística e também a batalha quase eterna de ser mãe em meio a tudo. No lançamento do livro em São Paulo, Fernanda aproveitou para firmar sua opinião para quem foi vê-la no Theatro Municipal de São Paulo: “Ninguém ou sistema nenhum vai nos calar”, afirmou a atriz, que foi aplaudida de pé pelo público.

Completou 90 anos de vida

No dia 16 de outubro, a carioca Fernanda Montenegro fez 90 anos e comemorou com uma missa no Mosteiro de São Bento no Rio de Janeiro e também um jantar intimista com alguns amigos próximos, como a filha Fernanda Torres e sua família, Regina Casé, Júlia Lemmertz e, ainda, o casal Gilberto Gil e Flora Gil.

Lançou dois filmes

Em 31 de outubro, estreou em todo Brasil o filme de Karim Aïnouz premiado em Cannes, ‘A Vida Invisível’ – em que Fernanda Montenegro interpreta uma das protagonistas (Eurídice Gusmão) na fase mais velha. Fernanda participou da pré-estreia de gala do filme no Theatro Municipal de São Paulo, durante a Mostra Internacional de Cinema, onde afirmou: “Neste fim de ano se juntaram muitas coisas boas e eu só posso agradecer. Os filmes estão aparecendo contra tudo e contra todos. Estamos vivos. Estamos absolutamente vivos”, disse Fernanda sobre a cultura nacional.

Já no dia 5 de dezembro estreou ‘O Juízo’ – um filme de suspense e fantasia que envolveu toda a família de Fernanda Montenegro. O roteiro é da filha Fernanda Torres, a direção é do genro Andrucha Waddington e ela estrela o filme ao lado do neto, Joaquim.

Polêmica e corajosa

Em meio aos constantes ataques à cultura e à classe artística por meio do diretor da Funarte, Roberto Alvim, em setembro, Fernanda Montenegro se manteve firme, educada e recebeu o apoio de muitos artistas e também de pessoas públicas de outras áreas. Alvim havia chamado a atriz de "mentirosa" e afirmado que sentia "desprezo" por ela nas redes sociais no final de setembro.

Fernanda saiu na capa da revista literária ‘Quatro Cinco Um’, em uma foto que representa uma bruxa amarrada em uma fogueira de livros, em outubro. Dias depois, ela foi ao programa ‘Encontro’, de Fátima Bernardes, e falou sobre a polêmica. "Esse convite veio muito antes da crise desse senhor [Alvim]", explicou a atriz no programa da Globo. "Não houve uma preparação política, ideológica, foi o acaso."

No programa, a atriz ainda explicou que, a princípio, havia recusado o convite para a capa da revista, mas que após o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, mandar censurar o gibi ‘Vingadores - A Cruzada das Crianças’, na Bienal do Livro no Rio de Janeiro e "as proporções de contestação", ela mudou de ideia. “Houve uma coincidência de terem proibido o livro com os dois rapazes se beijando”. E completou: “Não foi de propósito, mas já que aconteceu a conjunção dos astros eu assino embaixo: não se pode proibir livros”.