Felipe Prior diz que tem câmera em casa e nega dar tapas no sexo

·2 minuto de leitura
Felipe Prior foi acusado de estupro (Foto: Reprodução/Instagram/@felipeprior)
Felipe Prior foi acusado de estupro (Foto: Reprodução/Instagram/@felipeprior)

Felipe Prior ficou com medo de se relacionar após as acusações de estupro que sofreu no ano passado. Há três semanas, no Podcast 'Prosa Guiada', o ex-BBB contou que instalou câmeras de segurança em seu apartamento e ficou mais receoso com as mulheres na hora H.

"Tem câmera na minha sala. Se vai uma menina lá e fala: Tem câmera? Tem. Quem tem a senha sou eu. Pode ter certeza que não vou... sou a pessoa que menos quer que saia alguma coisa minha, mas coloquei. Aconteceram algumas coisas na minha vida que falei 'mano, hoje vou me blindar, não vou vacilar'. Tem muita gente maldosa. É uma merda. O apartamento é pequeno, mas tem câmera. Tô todo dia no Big Brother. Coloquei porque foi algo que me deu liberdade", revelou o arquiteto.

Leia também:

Segundo ele, as câmeras servem para evitar falsas acusações. "Você começa a ficar com medo, porque pra você transar com uma menina hoje, tem que ter muito cuidado. Se eu contar minha história de vida dá um livro sensacional. De tudo que eu vivi depois que saí do Big Brother, de ter medo de começar a ter um relacionamento... É que eu sou muito de boa, mas você começa a ter medo de levar uma mina em casa. Quantas meninas eu fui transar e me pediram tapa na bunda? Não dou tapa na bunda nem fudend*. E tem mina que gosta, mano", completou.

Prior foi acusado por três mulheres de estupro e tentativa de estupro entre os anos de 2014 e 2018. Em uma reportagem exclusiva da revista ‘Marie Claire’ as vítimas relatam com detalhes os episódios. Um dos casos teria ocorrido durante o InterFAU, que são os jogos estudantis da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, em São Paulo. O texto citava que a organização tinha ciência do fato.

A audiência para julgar o ex-BBB estava marcada para o dia 10 de maio, mas foi cancelada devido as medidas de isolamento social que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo determinou com o aumento de casos de Covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos