Fazer sexo com mais frequência pode melhorar o bem-estar mental?

Mulher afirma que seu médico prescreveu sexo como um tratamento para a depressão [Foto: Getty]

Os tratamentos utilizados para combater a depressão podem envolver antidepressivos e terapia cognitivo-comportamental, mas uma mulher disse que seu médico prescreveu algo bem diferente para tratar seu transtorno bipolar: sexo.

Numa entrevista para o site whimn.com.au, a mulher, anônima, explicou que sofre de depressão e ansiedade há muitos anos, mas depois de ser diagnosticada com transtorno bipolar, além dos medicamentos e da prática de exercícios, o médico aconselhou muito sexo.

Para alguém com uma libido naturalmente alta, aquilo significava fazer muito sexo mesmo. Mas depois de seguir o conselho médico, ela ficou impressionada ao perceber que a prática realmente teve um impacto positivo em seu bem-estar mental, ajudando a estabilizar seu humor.

“Nós não precisamos fazer sexo necessariamente; podemos nos tocar, nos aconchegar um no outro ou dar alguns beijos mais quentes. Estar conectado desta maneira pode ser tão bom quanto o sexo para aumentar o bem-estar,” disse ela ao whimn.com.au.

Além disso, aumentar o seu número de orgasmos também pode ser benéfico para a saúde mental. De acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS ), o sexo pode ajudar a combater o estresse da vida moderna.

A organização cita um pequeno estudo realizado com 46 homens e mulheres no qual os participantes mantiveram um diário da atividade sexual, incluindo relações sexuais com penetração, sem penetração, e masturbação.

Os resultados revelaram que as pessoas que tiveram menos relações sexuais apresentaram os maiores níveis de estresse, enquanto aquelas que só fizeram sexo com penetração demonstraram o menor aumento na pressão arterial, indicando que lidaram melhor com o estresse.

O sexo pode melhorar o bem-estar mental? [Foto: Getty]

Tracey Cox, especialista em sexo e relacionamentos, que tem sua própria linha de produtos eróticos na loja Lovehoney, concorda que o sexo e os orgasmos podem trazer muitos benefícios para a saúde mental.

“O sexo é um antidepressivo natural,” disse Tracey ao Yahoo Style UK. “O sexo aumenta a frequência cardíaca e estimula o cérebro a liberar mais serotonina, o hormônio da felicidade, um antidepressivo importante e a principal razão pela qual sorrimos após a reação sexual”.

Tracey diz que um estudo recente revelou que mulheres sexualmente ativas raramente sofrem de depressão.

“Homens e mulheres que têm relações sexuais com frequência lidam melhor com o estresse e têm níveis de pressão arterial mais baixos do que aqueles que se abstêm do sexo,” ela continua.

“Há outros benefícios para a saúde, como uma melhor qualidade do sono, que também contribui para o bem da saúde mental. A oxitocina, que tanto o corpo feminino quanto o masculino produzem no orgasmo, ajuda a combater a insônia. Ela é a razão pela qual tantas pessoas caem no sono logo depois de chegarem ao clímax,” explica ela.

E os benefícios do sexo não param por aí. “O sexo também alivia dores de cabeça, ao reduzir a pressão nos vasos sanguíneos no cérebro. Ele também aumenta os níveis do hormônio antienvelhecimento DHEA (desidroepiandrosterona) – um fator fundamental para nos manter jovens. Após o orgasmo, os níveis de DHEA no sangue chegam a cinco vezes o valor normal. Um estudo descobriu que casais com mais de sessenta anos, que ainda fazem sexo regularmente, parecem ter entre cinco e sete anos a menos do que aqueles que não mantêm mais relações sexuais”.

Se você começar seu dia com paixão, ficará de bom humor pelo resto do dia. “Estudos mostram que adultos que fazem sexo pela manhã são mais otimistas em relação ao dia que terão pela frente,” revela Tracey.