Fauna amazônica ajuda a curar traumas de guerra em novo documentário

Vista aérea da floresta amazônica no Peru

Por Rollo Ross

LOS ANGELES (Reuters) - Harry Turner, um ex-soldado britânico que foi enviado para o Afeganistão aos 18 anos, estava lutando contra o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e a depressão quando decidiu tentar algo completamente novo na Amazônia peruana.

Longe de casa e da civilização, Turner encontrou a alegria de cuidar de uma jaguatirica, que mais tarde seria reintroduzida na natureza por meio do grupo de conservação Hoja Nueva, iniciado por sua namorada Samantha Zwicker.

As conquistas e dificuldades deles estão no centro de "Wildcat", um documentário filmado nas profundezas da floresta tropical que estreia no Prime Video da Amazon na sexta-feira.

O filme começa com um momento feliz, em que Turner se apaixona pela jaguatirica Khan, mas depois obscurece quando o animal morre em um acidente, deixando Turner em desespero e Zwicker preocupada com ele.

Em seguida, eles recebem uma ligação de um amigo informando que uma jaguatirica foi encontrada por madeireiros e o pequeno Keanu ajuda Turner a superar sua dor.

Turner disse que as pessoas expressaram gratidão por sua descrição crua do TEPT e da depressão.

"Eles estão muito gratos por eu ter aparecido vulnerável na tela e mostrar esse lado da depressão que poucos filmes conseguem fazer parecer real", afirmou Turner à Reuters. "Acho que a única maneira de conseguirmos fazer isso foi sendo completamente honestos."

Com os rendimentos dos 20 milhões de dólares pagos pela Amazon Studios pelo documentário, Zwicker está construindo seu programa de conservação Hoja Nueva, enquanto Turner criou sua própria instituição de caridade, Emerald Arch.