Fátima Bernardes se revolta com fake news compartilhada por Eduardo Bolsonaro: "Crime"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Fátima Bernardes
    Jornalista e apresentadora brasileira
  • Eduardo Bolsonaro
    Advogado e político brasileiro
Fátima Bernardes critica Eduardo Bolsonaro e fake news (Reprodução Globoplay)
Fátima Bernardes critica Eduardo Bolsonaro e fake news (Reprodução Globoplay)

Durante o "Encontro", Fátima Bernardes se revoltou ao falar sobre as fake news envolvendo seu programa e supostos quadros que nunca foram ao ar. O "G1 em 1 Minuto" mostrou que o programa foi alvo de montagens falsas, que falavam que Fátima era contra a ceia de Natal e atacava valores da família tradicional brasileira. As imagens falsas chegaram a ser compartilhadas pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL).

Mostrando no telão do programa as imagens falsas, Fátima lamentou a postura de quem fez as montagens ou compartilhou sem averiguar a veracidade. A apresentadora demonstrou que o letreiro das fotos é diferente do tradicionalmente usado pela Globo. "Vou até pedir pra repetir aquela imagem que as pessoas acabam compartilhando, até o deputado Eduardo Bolsonaro postou. A tarja tem uma cor diferente da nossa, a fonte não é a mesma".

A apresentadora frisou que compartilhar fake news é crime, e pediu mais responsabilidade com os profissionais da mídia. "Isso não é brincadeira nem fofoca, o nome disso é crime e os responsáveis precisam ser punidos. Sabe como a gente pode ajudar? Não compartilhando notícia falsa. Isso confunde as pessoas, e me deixa muito triste. Eu sou apenas a pessoa que põe no ar um trabalho de uma equipe gigantesca, séria, responsável, e é muito triste ver o trabalho de todo mundo sendo achincalhado".

Crítica a Bolsonaro

Artistas e influenciadores usaram suas redes sociais nesta terça-feira (21) para lamentar o discurso do presidente Jair Bolsonaro na Organização das Nações Unidas (ONU). Na ocasião, o presidente afirmou que tirou o Brasil da "beira do socialismo", defendeu o tratamento precoce (sem comprovação científica) contra a Covid-19 e completou que o país não tem casos de corrupção.

Fátima Bernardes nem esperou o "Encontro" acabar para falar sobre o assunto. Ao vivo na Globo, a apresentadora reforçou que as vacinas são as medidas eficazes contra a doença e revelou sentir vergonha de Bolsonaro. "[Tem que ter] Vacina e consciência, não negacionismo. Muito difícil ouvir isso, dá vergonha ouvir isso diante de tantos líderes mundiais que estão lutando e, muitas vezes, não têm acesso à vacina porque são de países pobres", disse a jornalista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos