Fátima Bernardes rebate fala de Bolsonaro: "Governo pode sim obrigar a vacinação"

Lucas Pasin
·2 minuto de leitura
Fátima Bernardes no 'Encontro' (Foto: Reprodução/TV Globo)
Fátima Bernardes no 'Encontro' (Foto: Reprodução/TV Globo)

Depois que o presidente Jair Bolsonaro disse a uma apoiadora que 'ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina', se referindo ao covid-19, Fátima Bernardes usou seu espaço no 'Encontro', na manhã desta quarta-feira (02) para rebater a informação e ressaltar que o Governo pode sim obrigar que a população se vacine.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

"É importante destacar que o governo pode sim obrigar a população a se vacinar, e isso está previsto na Constituição Brasileira. Infringir uma determinação do poder público para impedir a propagação de uma doença contagiosa pode gerar pena de detenção de até 1 ano e multa", orientou a apresentadora da TV Globo.

Leia também

Fátima vem comentando nas manhãs da Globo sobre as notícias ligadas ao coronavírus e, na segunda-feira (31), já havia citado a vacina ao comentar cenas de praias lotadas no fim de semana. A apresentadora falou sobre a multidão que dominou a faixa de areia no Rio de Janeiro e “deduziu” que todos já estariam imunizados contra a covid-19.

“Acho que em alguns lugares... Moro no Rio de Janeiro e aqui certamente descobriram a cura, a vacina. Fiquei fascinada. Fui ver as imagens das praias e não foi só no Rio de Janeiro. Acho que a vacina chegou no litoral brasileiro”, disparou a jornalista.

Fátima chegou a ganhar os assuntos mais comentados no Twitter também nesta semana. Isso por conta de seu namorado, o deputado Túlio Gadêlha (PDT). Ele afrontou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite de segunda-feira (31). Apoiadores do presidente se irritaram com a publicação de Gadêlha e afirmaram que ele não tem moral por ser “apenas namorado de Fátima Bernardes”. Algumas pessoas questionaram o que fez a apresentadora se relacionar com o político e criticaram seu profissionalismo.