Fátima Bernardes descobre câncer no útero: o que provoca a doença?

Priscila Carvalho
·3 minuto de leitura
Fátima Bernardes no 'Encontro' (Foto: Reprodução/TV Globo)
Fátima Bernardes no 'Encontro' (Foto: Reprodução/TV Globo)

Na noite da última quarta-feira (02), a apresentadora Fátima Bernardes usou seu Instagram para contar que recebeu o diagnóstico de câncer no útero. "Vou me afastar por uns dias do trabalho para fazer a cirurgia. Como sempre usei minhas redes com total franqueza e verdade, preferi eu mesma passar essa informação para todos que me acompanham", escreveu.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Quando ocorre a descoberta desse tipo de câncer, o recomendado é saber a origem e localização do tumor. Isso porque, a doença pode se manifestar no colo do útero (mais perto da vagina) ou no endométrio, também chamado corpo do útero.

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer do colo do útero é o principal câncer que atinge as mulheres e o terceiro mais frequente no Brasil. Já o de endométrio é o oitavo tipo de câncer mais comum no país.

Leia também

O que provoca o câncer de endométrio?

Na postagem a apresentadora não especificou o tipo de tumor, mas, geralmente, o câncer do endométrio é mais comum entre mulheres acima dos 50 anos e que estão na menopausa.

Segundo Andréa Gadêlha Guimarães, coordenadora do Grupo Brasileiro de Tumores Ginecológicos (EVA) e do Instituto de Urologia, Oncologia e Cirurgia Robótica (IUCR), o principal fator de risco nesse tipo de câncer é a obesidade. “Quando a pessoa está obesa aumenta a quantidade de estrogênio no organismo, levando a formação de lesões precursoras do câncer do endométrio”, diz.

Gynecologist showing uterine structure on a uterus model. Uterus model on gynecologist's desk close-up
O que causa câncer no útero? Foto: Getty Images

De acordo com a especialista, os outros fatores de risco podem ser: dieta rica em gordura animal, reposição hormonal, hipertensão, diabetes e histórico familiar.

Sintomas

Normalmente, o sintoma mais comum nesse tipo de câncer é o sangramento vaginal e, principalmente, sangue quando a mulher já está na menopausa. Por isso quando ocorre esse tipo de intercorrência, deve ser investigado com um especialista.

Tratamento

Em estágio inicial, o mais comum é tratar o problema com uma cirurgia. No procedimento, retira-se o útero, ovários e trompas.

Se houver algum fator de risco depois da análise do material retirado, o médico pode recomendar terapias complementares como radioterapia ou quimioterapia. Não existe um tempo específico para a duração do tratamento e varia muito em cada paciente.

O que provoca o câncer do colo do útero?

O principal fator de risco no câncer do colo do útero é a infecção causada pelo Papilomavírus Humano (HPV). Ele é mais comum a partir dos 35 anos, mas, em casos raros, pode aparecer em mulheres mais jovens.

Diferentemente do câncer do endométrio, o câncer do colo do útero pode ser assintomático e descoberto somente em exames ginecológicos de rotina. “Para a prevenção, o melhor é fazer o papanicolau. Quando há alguma anormalidade, pedimos também uma colposcopia para avaliar melhor a doença”, afirma Glauco Baiocchi Neto, head do Departamento de Ginecologia Oncológica do A.C.Camargo Cancer Center, o principal fator de risco é a obesidade.

Neto reforça que ele é prevenível e tratável, por isso é necessário que a mulher realize sempre os exames ginecológicos a partir dos 25 anos ou quando começar a vida sexual.

Tratamento

O tratamento depende da extensão do tumor. Na maioria dos casos, o recomendado é a radioterapia e, em alguns casos, até quimioterapia.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube