Faroeste à moda antiga com Waltz e Dafoe estreia no Festival de Veneza

Atores Christoph Waltz e Willem Dafoe posam para fotos no Festival de Veneza

Por Crispian Balmer

VENEZA (Reuters) - O veterano cineasta Walter Hill trouxe um faroeste de estilo antigo e de baixo orçamento, "Dead for a Dollar", para Veneza nesta terça-feira, negando que seus filmes manchados de sangue possam incentivar o crime com armas em sua terra natal, os Estados Unidos.

"Acho que nenhum filme que já fiz defendeu algo assim", disse Hill, cujos sucessos anteriores incluem "Os Selvagens da Noite", "48 Horas" e "O Confronto Final".

Seu novo filme, estrelado por Christoph Waltz, Willem Dafoe, Rachel Brosnahan e Benjamin Bratt, segue um conto tradicional de um caçador de recompensas que rastreia seus alvos nas profundezas do México, culminando em um tiroteio final cheio de corpos.

O diretor de 80 anos, que irá receber um prêmio honorário no Festival de Cinema de Veneza, disse que "armas e ação" ajudaram a acabar com a escravidão e a derrotar a Alemanha nazista.

"Todos nós condenamos essas coisas terríveis que aconteceram em escolas e supermercados. Eu diria que a questão realmente é a disponibilidade (de armas), não o uso", disse ele a repórteres.

Hill é creditado por ajudar a reviver o gênero faroeste durante sua longa carreira, com filmes como "Cavalgada dos Proscritos", e disse que se arrepende de não ter feito mais.

"Gosto do período, gosto de fazer os filmes, gosto de sair com o elenco e os cavalos, e o interior costuma ser lindo e acho que há uma nostalgia de um certo período da história dos Estados Unidos", disse.

Ele reconheceu que se inspirou em grandes nomes do gênero, especialmente Sergio Leone, o pai do "faroeste espaguete". "Todos trabalhamos de mãos dadas... estamos todos conectados", disse.