Porchat, Pillar, Adnet e mais celebram depoimento na CPI da Covid: “Gostinho da verdade”

·4 min de leitura
Famosos usaram as redes sociais para comentar o depoimento mais quente da CPI da Pandemia (reprodução)
Famosos usaram as redes sociais para comentar o depoimento mais quente da CPI da Pandemia (reprodução)

Resumo da Notícia:

  • Artistas comentaram nas redes sociais as mais de 10 horas de depoimento dos irmãos Miranda à CPI

  • Famosos regiram a revelação que supostamente o Presidente sabia de esquemas de corrupção

  • Depoimentos foram motivados após erros no início da compra da vacian Covaxin

A CPI da Pandemia pegou fogo nesta sexta-feira (25). Os senadores receberam o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e o servidor do ministério da saúde Luis Ricardo Miranda. Este denunciou um suposto esquema de corrupção na compra das vacinas da Covaxin ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Sextou com S de sai de cima desses impeachment, Arthur Lira”, escreveu Fábio Porchat no Twitter em referência ao presidente da câmara dos deputados, do PP-AL que é o responsável ou aceitar ou não pedidos de interdição ao chefe do executivo.

Leia também:

Patricia Pillar também se posicionou: “Nada como o gostinho da verdade!” Marcelo Adnet também publicou com um toque de ironia: “Peculato. Corrupção ativa. Corrupção passiva. Crime contra a Saúde Pública. Formação de Quadrilha. Mas a culpa é do Bonner, da Globo lixo, da mídia comunista e dos artistas do fica em casa.”

“Não apenas o maior esquema de corrupção, mas o que mais matou Brasileiros!!!! Mais de 500 mil vidas precisam ser honradas com esse impeachment, Arthur Lira”, pediu Tico Santa Cruz.

Entenda o depoimento

Após horas de depoimento na CPI da Covid nesta sexta (25), o deputado Luis Miranda (DEM-DF) disse que Ricardo Barros (PP-SP), líder do governo na Câmara dos Deputados, seria o deputado apontado por Jair Bolsonaro (sem partido) como envolvido nas irregularidades da compra da vacina Covaxin.

Mais cedo, Miranda disse que após falar com Bolsonaro, o presidente atribuiu o caso a ações de um parlamentar, mas negou múltiplas vezes lembrar do nome citado. "Vocês sabem quem é, né? Sabem que ali é foda. Se eu mexo nisso aí, você já viu a merda que vai dar, né. Isso é fulano. Vocês sabem que é fulano", disse Bolsonaro, segundo Miranda.

O deputado ainda disse que em sua percepção, "[o presidente] não tinha força para combater. Ele deu a entender isso". O deputado e seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo, levaram as suspeitas de irregularidade na compra da vacina indiana a Bolsonaro no dia 20 de março.

Veja os posicionamentos