Fábio Porchat comenta futuro de Jair Bolsonaro: “Vai ser preso quando sair da Presidência”

Fábio Porchat comentou sobre a eleição de outubro de 2022 (Foto: Juliana Coutinho / Divulgação)
Fábio Porchat comentou sobre a eleição de outubro de 2022 (Foto: Juliana Coutinho / Divulgação)

Resumo da Notícia:

  • Fábio Porchat comentou sobre política durante participação em podcasts

  • O apresentador comentou que inicialmente votará em Ciro Gomes (PDT), mas pode mudar de escolha

  • Ele ainda comentou sobre o futuro do atual presidente caso saia do Governo em 2023

Fábio Porchat voltou a soltar o verbo sobre suas escolhas políticas para as eleições presidenciais de outubro de 2022. O apresentador do GNT e da TV Globo criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) e declarou voto ao principal rival, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

As declarações foram feitas durante uma entrevista ao podcast Cara a Tapa, de Rica Perrone. “Olha essa cara dele, [é] de um homem que não faz a menor ideia do que está acontecendo, que sabe que vai ser preso quando sair da Presidência” alertou.

Fábio ainda falou sobre as trocas que o político fez nos gestores nos três anos de mandato. “Ele não deixa investigar. Quatro pessoas da superintendência da polícia ele já tirou. Quando investigar, meu amigo...”, apontou.

Durante o papo no 'Papagaio Falante', de Sérgio Mallandro e Renato Rabelo, na mesma semana, ele comentou que votaria em Ciro Gomes (PDT). “Se chegar em agosto e ele continuar com 7% (nas pesquisas) e o Lula poder ganhar no primeiro turno, para tirar esse animal, esse verme, esse câncer que está no poder, eu vou pintado de estrela vermelha cantando 'Lulalá' e voto apertando 13 trezentas vezes", declarou.

Fábio ainda destacou o que acredita que seria o maior erro da atual gestão: “Ele não tá nem aí para as pessoas, ele não tem dignidade. Antes da gente falar sobre corrupção, porque tem muito nesse governo, a gente tem que falar de dignidade humana. Ele provoca ira, mente descaradamente, agride. Olha o que ele fala para as pessoas! Isso não é gente! Isso é subgente, é rato, é verme", completou.