Dill, Schmutz, Pocah, Colin e mais famosas criticam Bolsonaro após veto de lei sobre absorvente

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Nathália Dill, Samantha Schmütz, Pocah, Leícia Colin e outras celebridades se posicionaram contra o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (foto: reprodução / instragram @nathaliadill @samanthaschmutz @pocah @leticiacolin)
Nathália Dill, Samantha Schmütz, Pocah, Leícia Colin e outras celebridades se posicionaram contra o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (foto: reprodução / instragram @nathaliadill @samanthaschmutz @pocah @leticiacolin)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou hoje o artigo 1º e 3º do projeto de Lei 4968/19, da deputada Marília Arraes (PT-PE) que previa a distribuição gratuita de absorventes. Mais de 5.6 milhões de mulheres em todo o país, especialmente de baixa renda, seriam beneficiadas com a medida e essa ação fez com que famosas como Nathália Dill, Samantha Schmütz, Pocah, Letícia Colin e outras se manifestassem em repúdio. 

Ativista nas redes sociais e politizada, Samantha Schmutz postou uma mensagem direcionada ao presidente. “Vetar absorventes para mulheres sem acesso é de uma crueldade absurda. Ele não gosta das mulheres”, escreveu a atriz que recebeu apoio de outras colegas de trabalho, mas o coro masculino também se fez presente pela causa, e Rafael Zulu e Daniel Blanco também comentaram na publicação. Em tom de indignação, Blanco disse: “Às vezes não parece que esse cara é real! Parece que inventaram o pior ser humano possível e fingem que ele é presidente para nos deixar loucos de raiva”.

Leia também:

Nathalia Dill, que deu à luz a uma menina, Eva, que irá completar um ano de vida em dezembro, também se manifestou. No texto ela disse: “Uma das partes que mais me chocou no discurso do monstro, foi: “se atende a um grupo de beneficiárias, não atende ao princípio de universalidade do sistema único de saúde” Aff. Esse cara não consegue diferenciar igualdade de equidade”.

“Se os grupos têm diferentes demandas, é preciso olhar pra elas! Menstruar não é uma opção. A pobreza menstrual impede que meninas e mulheres tenham uma vida de igualmente justa na sociedade. Muitas deixam de ir à escola, precisam usar jornal velho. Enfim. Mais uma atrocidade desse desgoverno”, finalizou.

A atriz, que interagiu com as pessoas, respondeu alguns comentários em sua postagem. Uma internauta escreveu: “As mulheres não pegam anticoncepcionais e nem preservativos de graça nos postos, vão pegar absorventes?”. Educada, Nathalia disse: “Não entendi! Métodos contraceptivos não tem nada a ver com higiene íntima”. Samara Felippo, Fernanda Nobre, Alessandra Negrini e Nanda Costa também fizeram questão de se posicionarem a respeito do assunto, todas contra a medida adotada pelo presidente. Vale lembrar que o Congresso Nacional pode derrubar o veto, uma maneira de garantir alguns direitos no governo de Bolsonaro.

Menstruar é um segredo?

A resposta óbvia é "não". Todo mundo sabe que no mundo existem pessoas que menstruam. Mas é tratado como se fosse. Falar de menstruação é um tabu tão grande que não é um assunto comum. É visto como errado e, principalmente, como sujo. A mulher que menstrua e, por algum motivo, esqueceu um absorvente é exposta às críticas e chacotas dos outros por conta disso. Existe uma cultura de diminuição e vergonha envolvida com a menstruação.

É por isso que fotos como a da influenciadora Shani Chantel incomodam. Ela conta, em uma postagem no Instagram, como um dia estava tentando cuidar da filha e do cachorro certo dia e percebeu que a menstruação desceu. Ao mesmo tempo, a filha não aguentou chegar até o banheiro e fez xixi na mãe. O que poderia ser considerado uma questão muito complexa - afinal, não sabemos todo o contexto da situação de Shani -, virou um aprendizado. Ela aproveitou para registrar o momento, a calcinha suja de sangue, a filha no colo, enquanto explica que buscou tratar aquilo com a maior naturalidade do mundo, ao mesmo tempo que educou a filha, de uma forma que ela pudesse entender, sobre o que era a mancha vermelha de sangue na calcinha da mãe.

Veja outros posicionamentos:

Letícia Colin

Juliana Lohmann

Pocah

Rafa Brites

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos