Famosas apoiam jornalista Vera Magalhães após ataque de Bolsonaro durante debate

Vera Magalhães durante o debate da Band (Reprodução Youtube)
Vera Magalhães durante o debate da Band (Reprodução Youtube)

Várias famosas se pronunciaram em defesa da jornalista Vera Magalhães após um ataque direto do presidente Jair Messias Bolsonaro (PL) durante o debate na Band. Após Vera questionar o comportamento de Bolsonaro sobre a vacinação contra Covid-19, o candidato à reeleição se irritou e disparou contra a jornalista.

"Vera, não podia esperar outra coisa de você, você dorme pensando em mim. Você é uma vergonha para o jornalismo brasileira, já está apelando", atacou ele, que acusou a jornalista de defender um desvio de verba durante a CPI que investigou os gastos da Saúde com a pandemia. "A senhora escondeu o Carlos Gabas, que desviou os R$ 50 milhões e não foi investigado pela CPI. A senhora é uma vergonha para o Senado Federal. E não estou atacando mulheres, não venha com essa de se vitimizar".

Nas redes sociais, a apresentadora Fátima Bernardes defendeu a conduta honesta da colega de profissão. "Não é a primeira vez que mulheres jornalistas são atacadas por esse governo". Sandra Annenberg também foi solidária à Vera: "Não podemos mais permitir misoginia seja onde for. Não vamos nos intimidar, mulheres são a maioria da população brasileira. Somos fortes! Vera Magalhães, minha solidariedade".

No Instagram, a apresentadora Xuxa também condenou o ataque do presidente. "Que vergonha. Como esse homem pode ser presidente? E ainda querer continuar sendo?".

Entenda o ataque

Durante o debate dos candidatos à Presidência na noite de domingo, o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) atacou Vera Magalhães e a chamou de "vergonha do jornalismo" após a entrevistadora lhe fazer uma pergunta sobre vacinas que incluía alusão a declarações do mandatário contra imunizantes durante a pandemia.

Vale lembrar que Bolsonaro já foi condenado em segunda instância em junho deste ano por fazer ataques considerados misóginos a outra jornalista parte do debate, Patricia Campos Mello, do jornal Folha de S.Paulo.

O ataque a Vera Magalhães, da TV Cultura, aconteceu depois que ela questionou o candidato Ciro Gomes (PDT) sobre a queda da cobertura vacinal infantil no Brasil e as mortes pela Covid-19. Ela perguntou se, na avaliação de Ciro, "a desinformação sobre vacinas, difundida inclusive pelo presidente da República" havia contribuído para a situação. Bolsonaro tinha direito a comentar a resposta.

Durante a pandemia, o presidente fez alegações falsas sobre vacinas. Bolsonaro é investigado em um inquérito no Supremo Tribunal Federal por ter feito publicamente uma associação entre a vacina contra Covid-19 e o risco de desenvolver Aids. A Polícia Federal considera que Bolsonaro cometeu crime e pediu a prorrogação da investigação.

*Com informações da Reuters