Família de Rafa diz que ela usará prêmio do 'BBB 20' para melhorar ensino em Moçambique

ANA BEATRIZ GONÇALVES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A família de Rafaella Kalimann, 27, está ansiosa pelo resultado desta noite que vai definir o vencedor da 20ª edição do Big Brother Brasil. A mãe e o irmão da influenciadora, Genilda e Renato Fernandes, respectivamente, afirmam que ela conseguiu realizar seu sonho, e até o da família, de participar do reality. Ela disputa o prêmio de R$ 1,5 milhão com a médica Thelma Assis, 35, e com a cantora Manu Gavassi, 27.

"Sempre sonhamos com esse momento, a Rafa sempre foi muito fã do programa e ficamos imaginando ela lá dentro. Estamos orgulhosos da sua trajetória e de tudo que ela construiu", dizem os familiares de Kalimann, em entrevista à reportagem.

Antes mesmo de entrar no confinamento, a influenciadora disse que havia tentado uma vaga no reality por influência da mãe, que a inscreveu, porém, não conseguiu. Já nesta edição, Kalimann foi convida a entrar no reality. Genilda passou recomendações pontuais como "andar bonita para os fãs e evitar o edredom."

Kalimann cumpriu as recomendações da mãe. Passou longe do edredom e mostrou toda a sua beleza externa e interna, na opinião de seus familiares. "Ela realmente mostrou quem ela é, foi verdadeira com seus sentimentos, e muito coerente e sensata nas suas atitudes."

Quanto à discussão de Kalimann com Flayslane, que virou meme na internet, tanto Genilda quanto Renato não viram motivos para negatividade, já que a mineira foi honesta e intensa. "Foi um momento que ela colocou para fora seus sentimentos. Nos divertimos muito com a criatividade dos fãs. Aleluia, arrepiei! [risos]".

Na opinião dos parentes, a influenciadora merecia ganhar o prêmio de R$ 1,5 milhão por sua coerência, fidelidade e entrega. "Rafa foi ela, se entregou de coração sem pensar em nada aqui fora." Eles afirmam ainda que Kalimann tem como meta construir uma comunidade em Moçambique, na África.

"Ela quer levar uma estrutura básica de ensino e qualidade de vida. O prêmio vai ser total para dar andamento a esse projeto, junto com a ONG Missão África", garante a família, ao ressaltar que Kalimman, desde 2014, é embaixadora da ONG Missão África e madrinha do Hospital de Câncer de Goiás e da Comunidade JK Goiânia.