Falcão cita entrevista no 'Fantástico' e rebate Allan Jesus: 'Você não precisa, mas o menino precisava'

Falcão falou sobre entrevista de Allan Jesus no stories do Instagram Foto: Reprodução/Instagram


Novo gestor da carreira do Luva de Pedreiro, Falcão postou uma série de stories para se precaver do que Allan Jesus possa vir a falar no 'Fantástico' deste domingo. A Globo confirmou que a liminar conseguida pelo ex-agente do influencer caiu e que o conteúdo barrado há duas semanas será transmitido neste domingo.

Falcão afirmou que acredita que o argumento de Allan na entrevista cedida ao programa será o mesmo apresentado em entrevista ao jornalista Rica Perroni, de um possível aliciamento do jovem para um rompimento com Allan, que disse para Rica que uma agência que representa a lenda do futsal o procurou oferecendo um contrato de R$ 8 mil.

+ Veja o passo a passo da polêmica

Falcão diz que pediu os prints para o responsável pela troca de mensagens e apontou o que, segundo ele, seria contradições nos argumentos de Allan. O ex-atleta tratou as feições de Allan com ironia e falou do suposto valor oferecido pela empresa parceira.

- Eu pedi essas mensagens para a equipe de marketing porque foi o que ele usou no podcast. Aliás, as expressões deles são muito fofinhas, ele faz uma cara muito interessante. Devia ter aceitado, Allan (a proposta) porque ele não teria só R$ 7500 na conta. Se você tivesse aceito, às vezes para você é pouco, mas para ele era muito. Ele podia ter mais dinheiro na conta - afirmou.

- Sobre gravar com ele (Luva) seria um prazer. Gravaria com ele, coisas que muitas pessoas tentaram e ele não pode (por recusas de Allan). Aliás, não fechou conosco e nem com niguém. Teve várias empresas que você negou. Você não precisa, mas o menino precisava. Quem sabe assim ele teria mais de R$ 7500 nas contas - concluiu.

Falcão negou que não pediria uma liminar para barrar o que Allan poderia vir a falar no 'Fantástico' e que vai passar a tratar do assunto apenas na justiça.

- As mensagens que ele leu de uma conversa super natural de uma negociação. Ele ficou três semanas depois da liminar para pensar nisso. O cara é um gênio. 'Ah, mas Falcão, não vai pedir liminar?'. Quanto mais ele falar, melhor. Quem fala verdade não precisa de memória. Quem precisa de três semanas para pensar, e pensar isso era melhor ficar quieto em casa.

- A partir de hoje não falo mais disso, agora é judicialmente. Ele vai ter que provar tudo isso que ele fez. Agora vamos pegar pesado nisso também porque se eu não tenho essas provas... Imagina se ele transforma tudo isso em verdade? - conclui.