Facebook perde usuários diários pela primeira vez em 18 anos e ações derretem

·2 min de leitura

Num evento raro, o Facebook Inc. registrou queda na quantidade de usuários diários no quarto trimestre fiscal no mais recente relatório. O balde de água fria, acompanhado também por 5% de queda em lucro líquido em comparação ao mesmo período do ano passado, fez as ações da gigante Meta (ex-Facebook Inc.) despencarem 20% em instantes.

Aparentemente, a grande mudança de nome não é suficiente para reerguer a moral do Facebook frente à concorrência. Só na América do Norte, principal fonte de ganhos da rede social original de Mark Zuckerberg, a diminuição no número de usuários diários chegou a 1 milhão.

O Facebook não é mais tão popular entre jovens (Imagem: Thought Catalog/Unsplash)
O Facebook não é mais tão popular entre jovens (Imagem: Thought Catalog/Unsplash)

A queda de número de usuários se dá possivelmente pela baixa popularidade da rede social entre jovens. Em reportagem do site The Verge, uma pesquisa apontou que cada vez menos adolescentes usam a plataforma e que essa popularidade tende a não aumentar à medida que envelhecem.

Devido à queda no valor das ações, a Meta perdeu US$ 200 bilhões de valor de mercado. Durante a reunião com investidores, o CEO Mark Zuckerberg admite que boa parte desse impacto se dá pela acirrada concorrência no setor de redes sociais, especialmente por causa do TikTok.

Meta ainda faz muito dinheiro

Apesar dos números negativos, a Meta ainda registrou US$ 40 bilhões de lucro majoritariamente por anúncios e publicidade. Boa parte do valor, porém, é redirecionado para o desenvolvimento do anunciado metaverso — ou seja, laboratórios de realidade virtual, que inclui novos aparelhos e apps em VR.

O investimento no segmento de VR deve aumentar esse ano, inclusive. Para o fim do ano, Zuckerberg prevê o lançamento de mais um headset de realidade virtual — desta vez, de “alto nível” —, que complementará a competição ao lado do Oculus Quest 2, um dos dispositivos mais populares do setor.

“Estou animado com o progresso que fizemos no ano passado em várias áreas importantes de crescimento, como Reels, comércio e realidade virtual. Continuaremos investindo nessas [áreas] e em outras prioridades importantes para 2022, enquanto trabalhamos na construção do metaverso”, disse Zuckerberg.

Os frutos deste investimento, porém, só serão vistos dentro de alguns meses (ou anos, no pior dos cenários). O metaverso ainda é um conceito muito novo e com inúmeras barreiras que precisam ser superadas para realmente engajar pessoas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: