Sóbrio há sete meses, Fabio Assunção diz que álcool é "droga mais pesada que conheceu"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O ator Fabio Assunção. Foto: reprodução/Instagram/fabioassuncaooficial
O ator Fabio Assunção. Foto: reprodução/Instagram/fabioassuncaooficial

Cuidar da saúde tem sido uma prioridade para Fabio Assunção, e o ator faz questão de compartilhar a nova fase, 27kg mais magro à base de alimentação regrada e exercícios físicos, com seus admiradores nas redes sociais. Mas, em depoimento à revista “GQ”, ele fala abertamente sobre a época em que o vício prejudicou sua saúde e sua determinação em se afastar completamente da bebida, há sete meses.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“Eu não acordava bebendo, nunca bebi no trabalho, mas achei em um determinado momento que o álcool podia ser uma alternativa mais leve, mas é a droga mais pesada que conheci. Muita coisa acontece: acidente, violência doméstica, agressão verbal, arrogância. Tem gente que tem sabedoria para beber, mas tem uma parcela de 14 a 16% da população mundial que não sabe parar”, afirmou.

Leia também:

Hoje, ele diz ter mais paciência com os próprios erros. “Se a angústia vem, eu escuto uma música, deixo passar. No passado, eu certamente beberia. Estou a cada dia mais distante das coisas que me perturbavam, sem beber há sete meses”, contou.

Fabio lembrou que sua recuperação sempre esteve exposta à curiosidade alheia. “A primeira vez que fui a uma reunião no A.A. eu tinha 30 anos e havia um fotógrafo na porta. Não tive a chance de uma recuperação privada. Existe um estigma gigante em torno desse assunto e, ao falar sobre ele, quero passar uma mensagem: ‘Tenha coragem, deixe os outros dizerem, talvez você seja ridicularizado, julgado, mas só você vai valorizar a sua vida’”, disse.

Fabio, que atribui a mudança de vida ao Ifá, tradição milenar da Nigéria que cultua os orixás, comenta ainda que a sociedade precisa discutir mais a dependência química, que atinge 800 milhões de pessoas no mundo. “O que eu quero é uma reeducação geral, que as pessoas entendam que álcool não se oferece. No A.A., eles não dizem 'mudou da água pro vinho, mas do vinho pra água'. Está intrínseco na nossa cultura que o celebrar leva álcool. Eu fiz isso a vida toda. Mas a maioria não entende o problema porque não passa por ele”.

Exposto a críticas e comentários negativos na internet, ele se solidariza com outras pessoas que enfrentam o mesmo problema. “Quando se vê um vídeo de uma pessoa caindo na rua, dando entrevista completamente alcoolizada, normalmente com milhares de visualizações, eu não vejo graça, me sinto completamente angustiado por ela”, comentou.

Recém-casado com Ana Verena e prestes a ser pai pela terceira vez, o ator diz que pretende muito em breve abandonar também o cigarro. “Eu fumo desde adolescente, está na hora de me despedir disso também, não combina mais com a vida que eu quero ter. Em dezembro, vou parar através de um tratamento espiritual. Mas não me arrependo, o cigarro foi um parceiro para mim”, admitiu.

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos