Fã de Simone e Simaria ouvia dupla por causa do pai: "Partiu a gente em pedaços"

Giovana Yamaki com o pai, Clayton Cardoso, e com Simaria. Foto: Arquivo Pessoal
Giovana Yamaki com o pai, Clayton Cardoso, e com Simaria. Foto: Arquivo Pessoal

Resumo da notícia:

  • Fã de Simone e Simaria ouvia dupla por causa do pai e começou a acompanhá-las pelo "The Voice"

  • Em entrevista ao Yahoo, Giovana Yamaki abriu o coração sobre o que sentiu com a separação

  • Jovem relembrou momentos especiais com a dupla e lamentou fim das atividades

Embora atritos já estivessem marcando a trajetória de Simone e Simaria nos últimos meses, a notícia do encerramento da dupla sertaneja não deixou de ser chocante para os fãs das irmãs baianas. As artistas entraram para a história da vida de muitas pessoas ao redor do Brasil e uma delas é Giovana Yamaki, administradora de um fã-clube com mais de 180 mil seguidores.

Aos 20 anos, a estudante de jornalismo de São Caetano do Sul, em São Paulo, contou ao Yahoo que começou a ter contato com as músicas de Simone e Simaria por conta de seu pai, Clayton Cardoso, que já era muito fã das cantoras antes de sua filha. Inclusive, ela não aguentava mais ouvir as faixas do "Bar das Coleguinhas" e o hit "Meu Violão e o Nosso Cachorro" até ser conquistada pelo carisma das irmãs.

"Elas entraram para o “The Voice Kids” e eu senti que estava gostando delas. O jeito delas foi o que me encantou. Comecei a gostar como pessoas primeiramente, não só o trabalho artístico. O que me encantou logo de cara foi a personalidade delas, o jeito brincalhão e alto astral”, relatou.

Depois disso, ela se apaixonou pelas canções da dupla e seguiu acompanhando o trabalho e a vida das irmãs. Atenta, ela já desconfiava do fim, mas ainda assim não deixou de ficar triste ao receber a notícia. “Parece que partiu a gente em pedaços. Quando eu vi, eu desabei. Tive que parar por um tempo para poder me recuperar. Aí coloquei músicas delas para ouvir e parei para lembrar todos os momentos que tive com elas que nunca mais vão voltar", desabafou.

Admiradora da história de vida de Simone e Simaria, Giovana parou para refletir como elas cresceram em condições precárias no interior da Bahia para virar uma das maiores duplas sertanejas do país. "Saber que tudo terminou dessa forma é muito duro", completou. "Separadas elas já são incríveis, mas juntas eram ainda mais. Eram tampa e panela”.

Conheça a história da fã com as irmãs

 

Primeiro show

Giovana Yamaki e o pai, Claytom Cardoso, no primeiro show da Simone e Simaria. Foto: Arquivo Pessoal
Giovana Yamaki e o pai, Claytom Cardoso, no primeiro show da Simone e Simaria. Foto: Arquivo Pessoal

Giovanna lembra que virou fã das cantoras pouco antes de Simaria ficar doente por conta da tuberculose ganglionar, o que gerou uma pausa nas apresentações. Foi em 2019 que ela conseguiu ir ao primeiro show da dupla e sempre acompanhada de seu pai.

"Era um momento que eu estava aguardando demais para acontecer. No palco, não era só cantar, conhecer as músicas, era muito mais do que isso. O carinho que elas tem com os fãs e a atenção que elas [dão ]para gente lá do palco me deixava muito feliz", explicou. "Eu saí de lá querendo mais e que eram além do que eu realmente esperava”, completou.

 

Conversa com Simaria

Simaria e Giovana Yamaki em conversa no WhatsApp. Foto: Arquivo Pessoal
Simaria e Giovana Yamaki em conversa no WhatsApp. Foto: Arquivo Pessoal

Durante o período de pandemia, Giovanna precisou lidar com o diagnóstico de Covid-19 de parentes na época em que a situação estava muito crítica. Em meio às dificuldades da preocupação com a família e o isolamento social, uma marca chamou a jovem para participar de um "Zap Show" de Simaria, um show realizado pelo WhatsApp.

"Ela fez uma ligação comigo e com alguns fãs, cantou para gente e conversou um pouquinho com cada um. Foi muito emocionante para mim, porque ela conseguiu aliviar a tensão que eu estava sentindo naquele momento. Me deixou muito feliz e até hoje não consigo explicar”, declarou.

 

A separação

Questionada sobre a previsão de que a dupla iria se separar, Giovana destacou a ligação das artistas com outros países, o que já indicava que elas pretendiam seguir outros rumos, embora não imaginasse que isso aconteceria tão cedo. "Simaria tem a ligação maior com a Espanha principalmente, porque, até então, ela tinha um restaurante e um apartamento. E a Simone está indo para a terceira casa em Orlando. Então, a tendência era seguir para esses dois destinos", refletiu.

Ao analisar os sinais de tensão entre as irmãs, a jovem lembrou da briga no "Programa do Ratinho" e pontuou a relação de cobrança de Simone com Simaria em relação ao modo de se vestir e do que falar. "Ao longo de muito tempo, a Simaria sente como se a Simone reprimisse ela. Lógico que ela não faz isso por mal, porque a Simone sabe como a Simaria tem um coração muito bom e é uma pessoa muito gente boa", afirmou ao exaltar o carinho de Simaria com os fãs. "Não era uma coisa que ela fazia por obrigação”, completou.

Simone e Simaria no lançamento de
Simone e Simaria no lançamento de "Bar das Coleguinhas 2". Foto: Eduardo Martins/AgNews

Giovana ainda revelou acreditar que, se dependesse de Simone, a dupla continuaria, porque ela sempre foi mais apegada ao conceito de dupla, enquanto Simaria estaria tentando criar uma marca individual para cada uma para seguirem projetos pessoais mesmo tendo a dupla como foco dos trabalhos. "Acho que não teve ninguém que tentou consertar as coisas. O problema é que misturou o familiar com a carreira", declarou.

Ela também contou que Simaria gravou um vídeo semana passada para uma fã que havia perdido a mãe para dar um suporte emocional e chegou a pedir que ela continuasse indo aos shows. "Achava que tinha chance de continuarem. Mas, na verdade, ela estava falando dos shows individuais de cada uma”, refletiu Giovana.