F1: Pai de Petrov é assassinado com tiro na Rússia após piloto atuar como comissário na classificação do GP de Portugal

Abdullah Çelik
·1 minuto de leitura

Ex-piloto da Fórmula 1 que foi escalado como comissário para o GP de Portugal, o russo Vitaly Petrov, envolvido em polêmica recente com Lewis Hamilton, teve o pai assassinado na Rússia pouco depois de trabalhar na classificação da F1 em Portimão.

De acordo com relatos da mídia russa, o empresário Alexander Petrov foi baleado e morto na cidade de Vyborg nesta tarde. Por ora, nenhuma declaração oficial foi feita sobre a causa do assassinato, mas o Telegram 112 dá conta de que a vítima foi alvejada por um sniper.

O canal de TV Baza informou que o corpo foi achado por um policial, que chamou sua equipe e uma ambulância. A morte aconteceu por volta das 18h locais (12h em Brasília). Outros veículos de comunicação confirmaram o assassinato de Alexander, descrito como “autoritário” pelo 47news. De acordo com o site, o empresário estava em sua sauna em casa e depois foi mergulhar em um rio, onde estaria o atirador.

Alexander era deputado municipal de Vyborg pelo Rússia Unida, o mesmo partido do presidente Vladimir Putin. Ele também era dono de uma rede de empresas, das quais se destacam a Vyborg Shipyard, de construção naval, e a Vyborg Fuel Company, de combustíveis.

Seu filho Vitaly correu na F1 entre 2010 e 2012. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou que Petrov deixou suas funções de comissário neste fim de semana devido a “um luto pessoal”.

“Os pensamentos da FIA estão com Vitaly e sua família neste momento”, acrescentou o órgão. “Bruno Correia, Piloto de Safety Car do Campeonato FIA de Fórmula E e FIA WTCR vai assumir a posição."