Férias pós-vacina ajudam vendas de setor de turismo nos EUA

Jen Murphy
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Josephine Darwin, de 65 anos, marcou o dia 3 de março no calendário com a importância de bodas de ouro e planejou comemorar a data com o mesmo entusiasmo. Nesse dia, ela e o marido, John, de 67 anos, estariam oficialmente imunes - ou o mais próximo possível - da Covid-19. Recém-vacinados com o imunizante da Pfizer, os aposentados de Nashville, nos EUA, não perdem tempo para voltar a viajar: planejam voar para Charleston, Carolina do Sul, na próxima semana para as férias pós-vacina.

“Não consigo descrever nossa empolgação em sair e encontrar pessoas de novo”, diz Josephine, que não viaja desde 17 de março de 2020 e apenas fez breves passeios pelo bairro. Assim que ela e o marido tiveram a vacinação agendada, começaram o planejamento da viagem. Férias de duas semanas em Newfoundland estão programadas para setembro, supondo que as fronteiras estejam abertas até lá. Provavelmente, não: as províncias do leste do Canadá têm sido muito rígidas quanto às proibições de viagens durante a pandemia e até negaram a entrada de outros canadenses.

Com a aceleração da vacinação nos EUA, as consultas sobre viagens também aumentaram. “Vimos um aumento de 25% nas consultas de viagens desde que a primeira rodada de vacinações foi disponibilizada”, disse Leah Smith, presidente da Tafari Travel, com sede em Denver. “Quase toda semana recebo e-mails de clientes dizendo que acabaram de receber a primeira vacinação e estão prontos para planejar os próximos dois anos de viagem.”

“Não é atípico receber até quatro consultas de viagem em um e-mail”, continua Smith. “Muitos clientes nem estão esperando a segunda rodada para reservar uma viagem.”

E não vão visitar os netos, diz Brooke Lavery, sócia da consultoria de viagens de luxo Local Foreigner. “Pessoas que normalmente fazem de cinco a sete viagens por ano e para quem viajar tem sido um estilo de vida por décadas estão fazendo viagens de comemoração”, diz.

O movimento pode ser prematuro. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças adiaram a divulgação de diretrizes de segurança contra a Covid para americanos que foram totalmente vacinados. Até o momento, a organização continua incentivando os vacinados a usar máscaras, manter a distância social e evitar multidões.

Anthony Fauci, principal assessor médico dos EUA e diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, recomendou cautela em relação às viagens pós-vacinação, devido à possibilidade de espalhar o coronavírus ao longo do caminho.

‘Viajar era nossa vida’

Charlotte Benedict, de 74 anos, está entre as muitas pessoas que estão prontas para assumir o risco. Há três semanas, ela foi vacinada com a segunda dose da vacina da Moderna, e seu marido Roy está algumas semanas atrás. No mês que vem, o casal aposentado que mora em Dallas planeja comemorar a imunidade com uma viagem de golfe para St. George, Utah.

“Viajar era nossa vida”, diz Charlotte. “Cancelamos cinco viagens no ano passado e estamos prontos para voltar a viajar.” Um plano mais distante para um safari no Quênia com a filha adulta, no entanto, teria de esperar até 2022.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.